sábado, 28 de janeiro de 2012

Mulher acusa homem de violação porque este não se lembrava do nome dela

Uma mulher chamada Christine Jordan acusou falsamente um homem de "violação" devido ao facto dele não se lembrar do nome dela.

Em Janeiro último, Jordan teve um encontro romântico com o homem depois de o ter conhecido num autocarro. Cinco dias depois, Jordan viu o homem num pub mas ele não se lembrava do nome dela.

Devido a isto, a Jordan presenteou o homem com "um olhar maligno" antes de chamar a polícia.

No espaço de alguns minutos as forças policiais chegaram e prenderam o homem sob suspeitas de violação.

Aparentemente Jordan havia telefonado à policia alegando ter sido violada pelo homem. Segundo a sua "história", o homem alegadamente seguiu-a até a casa e forçou a sua entrada. Para grande desespero desta estúpida, a polícia apercebeu-se logo que esta "violação" nunca havia ocorrido.

Mas isso não impediu esta mentirosa de se agarrar à história como se a sua vida dependesse dela. A única coisa que mudou foi que, agora, o homem não se tinha forçado para dentro da sua casa.

Nicola Devas, advogado de acusação, disse:

A ré mentiu e mentiu e mentiu e foi apanhada nas suas mentiras. O pior é que mesmo depois de ter sido apanhado nas suas mentiras, ela continuou a mentir.

Ela agarrou-se ao que resta da sua alegação inicial porque não consegue aceitar o que aconteceu com ela.

O que aconteceu com ela é que ela foi vítima de mais um PUA ("Pick-Up Artist" = engatador "profissional"). Não podendo admitir que foi caçada por um profissional, e apercebendo-se que foi mais uma na sua lista e, desde logo, nada de especial na vida do homem, ela tenta acomodar essa dura realidade com o seu frágil ego.
O júri demorou menos de duas horas para chegar a um veredicto unânime : Jordan foi acusada de perverter o curso da justiça e será sentenciada no próximo mês.
Uma vez que o sistema legal ocidental (principalmente o Europeu) está nas horríveis mãos da ideologia nojenta que se dá pelo nome de feminismo, aguarda-se uma "pena dura" do tipo "300 horas de serviço comunitário" ou outra estupidez qualquer.

Fonte

. . . . . . . . . . .

Algumas apologistas da falsa violação insistem que as mulheres "nunca mentem em relação à violação". Afinal, que tipo de mulher se submeteria a um julgamento em torno duma violação?

Quem afirma estas coisas não conhece a forma de pensar duma igualitária, nem o quão brutais algumas mulheres podem ser depois de verem o seu frágil ego totalmente destruído (especialmente em assuntos que envolvam a sua sexualidade, beleza ou peso).

Vários sites online listaram já alguns dos motivos que levam a que uma mulher alegue ter sido "violada":

  • Namorado demorou demasiado tempo a ir comprar cigarros.
  • Homem recusou-se a dar uma cerveja.
  • Não gostar da quantidade de trabalho que o patrão lhe dava.
  • Homem atirou uma flor à falsa acusadora; ela alegou ter sido "violada".
  • Querer um dia de folga, alegar ter sido "violada" e causar que 3 homens fossem interrogados.
  • Não querer pagar o táxi.
  • Uma adolescente alegou ter sido "violada" como forma de reatar o namoro. A sua mentira resultou na condenação do ex-namorado e de mais 2 rapazes.
  • Mulher queria voltar para o namorado depois deste terminar tudo. Como tal, acusou-o de "violação". Mais tarde admitiu: "Só queria que ele sofresse pelo que havia feito".
  • Uma falsa acusadora alegou que queria que o seu ex-namorado "sentisse dor extrema".
  • Mulher mandou um homem para a prisão durante 5 ANOS porque disse que estava aborrecida.
  • Um rapaz de 18 anos foi retirado da sala de aulas e preso durante um mês por uma falsa denúncia por parte duma rapariga que ele nem conhecia.

  • Uma mulher alegou ter sido violada como forma de descarregar a raiva gerada depois dum incidente rodoviário.

  • Um homem recusou-se a pagar uma cerveja a uma mulher; esta vingou-se afirmando ter sido "violada".

Poderia continuar com a lista, mas acho que já se apanhou a ideia principal: mulheres tóxicas (feministas) não são de confiança.



2 comentários:

  1. voces poderiam cometar aqui no blog sobre esse post do julio severo,e um assunto muito serio http://juliosevero.blogspot.com/2012/01/menina-o-banheiro-e-o-marmanjo-gay.html?m=0

    ResponderEliminar
  2. Aqui na minha cidade tem o caso de uma mulher que acusou seu ex-genro de molestar/abusar da própria filha de 5 anos. Parece que depois ela desmentiu tudo. Fez isso por birrinha de sogra.

    Aqui no meu vergonhoso país, acusações deste tipo não resultam em NADA para as mulheres que mentem. Mesmo sabendo que um homem inocente poderá ser espancado e estuprado, tem mulher que tem a coragem de fazer uma falsa acusação por vingancinha estúpida.

    ResponderEliminar

Os 10 mandamentos do comentador responsável:
1. Não serás excessivamente longo.
2. Não dirás falso testemunho.
3. Não comentarás sem deixar o teu nome.
4. Não blasfemarás porque certamente o editor do blogue não terá por inocente quem blasfemar contra o seu Deus.
5. Não te desviarás do assunto.
6. Não responderás só com links.
7. Não usarás de linguagem PROFANA e GROSSEIRA.
8. Não serás demasiado curioso.
9. Não alegarás o que não podes evidenciar.
10. Não escreverás só em maiúsculas.
-------------
OBS: A moderação dos comentários está activada, portanto se o teu comentário não aparecer logo, é porque ainda não foi aprovado.

ATENÇÃO: Não será aceite comentário algum que não se faça acompanhar com o nome do comentador. ("Unknown" não é nome pessoal).

ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

PRINT