sábado, 18 de fevereiro de 2012

Fugindo da mulher ocidental e ocidentalizada

Talvez este seja o caminho a seguir como forma de evitar as imensas mulheres tóxicas existentes no mundo ocidental.

Sou um americano de 28 anos a viver na Índia, casado com uma mulher indiana. Foi um casamento arranjado junto aos pais e desde logo, não foi um "casamento de amor" onde o homem conhece a mulher e propõe o casamento directamente a ela.

Havendo crescido nos Estados Unidos, eu não tinha uma opinião favorável das mulheres. Claro, sempre há umas poucas boas raparigas, mas na maior parte dos casos, e para ser totalmente directo, as mulheres que eu conhecia era umas p**** (inglês: "whores").

Lembro-me duma rapariga que, com apenas 16 anos, teve relações sexuais com 20 homens diferentes no espaço de 3 meses. Não só perdi todo o respeito pela mulher americana como apenas as via como animais.

ÍNDIA.

Tudo mudou quando visitei a Índia. As mulheres que conheci eram completamente diferentes - mulheres genuinamente femininas que não haviam recebido a lavagem cerebral de ódio aos homens tão comum na cultura feminista do Ocidente. As mulheres indianas possuíam qualidades como mansidão, submissão, humildade e bondade.

A minha mulher tem 18 anos e é muito feminina e graciosa. Ele é suave, humilde e branda. Este tipo de comportamento feminino naturalmente provoca a atitude de cavalheiro em mim. É preciso ver que é o desejo natural do homem de agir como protector das mulheres, mas quando as mulheres agem de forma arrogante, "independente" e cheia de ódio, isso "desliga" o instinto protector que os homens naturalmente possuem em favor delas.

Como consequência, os homens ocidentais já não querem proteger as mulheres. Tivemos um exemplo disso há alguns dias atrás na Austrália. Houve uma enchente e uma jovem mulher estava a ser levada pelas águas. Um grupo de homens ficou a ver o incidente mas em vez de tentarem ajudá-la eles filmaram o seu afogamento com os seus telemóveis.

A minha mulher cozinha diariamente, limpa a casa e nunca pensa que estas actividades são "degradantes" ou inferiores ao seu estatuto. Claro que após alguns anos vamos ter os nossos filhos.

Eu não paguei nada aos pais dela porque eles não pediram nada - e eu não perguntei pelo valor do dote. Já conheci algumas mulheres indianas que tiveram a coragem de pedir dinheiro (o que eu achei isso muito ofensivo).

Como é que tive a ideia de levar a cabo isto? Bem, eu buscava formas de me casar porque na Índia não se pode ter relações sexuais fora do casamento. Não é como no ocidente ou noutros países da Ásia onde podes ter namoradas. Uma vez que a Índia é muito tradicional, o conceito de casamento ainda se aplica.

Claro que se eu vivesse na Tailândia nunca me casaria uma vez que teria todas as minhas necessidades satisfeitas por uma "massagista".

Portanto, quanto mais as mulheres oferecem sexo aos homens, menos incentivos eles têm para se casar com elas. Isto é algo que as mulheres ocidentais deveriam levar em consideração.

Como é que resolvi a questão do casamento? Conheci os seus pais e eles ofereceram-me a sua filha em casamento. Combinamos a data de casamento e seguimos em frente com a cerimónia. Será que ela satisfaz as minhas necessidades de companheirismo? Sim, acho que sim.

Será que a falta de educação formal é um factor? Bem, acho que a falta de educação é uma coisa boa. Demasiada educação na mulher torna-a independente. Quanto mais educação tiver a mulher, menos dependente ela fica do homem.

As mulheres ocidentais são tão independentes precisamente porque possuem demasiada "educação" profissional. A educação nada mais é que indoutrinação mascarada.

As mulheres ocidentais tiram doutoramentos em Psicologia e outros temas sem utilidade mas nem conseguem cozinhar uma boa refeição. Por isso é que classifico essa educação de "inútil"!

CONCLUSÃO

A minha mulher é uma mulher genuína, age de forma feminina e como tal, eu estou satisfeito.


E esta é uma das funções mais importantes do casamento: companheirismo e satisfação pessoal segundo os papéis matrimoniais definidos pelo Criador. As feministas que visam destruir a identidade sexual, e diluir os papéis masculinos e femininos na sociedade, nada mais fazem que aumentar infelicidade geral, especialmente a felicidade das mulheres - as mesmas que supostamente o feminismo veio para "ajudar".

Claro que esta abertura no "mercado" de casamento é uma péssima notícia para as mulherzinhas que tentam restringir as escolhas masculinas entre elas. Quando se fala em casamento, os homens não gostam de mulheres promiscuas.

[Quando digo "não gostam" estou a ser simpático. A verdade é que os homens odeiam ter como esposas mulheres que já foram rodadas por vários homens. Veja-se este incidente.]

A solução das feministas para o facto dos homens rejeitarem mulheres promiscuas quando pensam em casar? Eis como uma tenta resolver essa situação:

Eu acho que se a maior parte das mulheres (ou muitas mulheres) tivessem uma história sexual frutífera, isso tornaria-se na norma e desde logo aceitável.
A escritora do blogue Susan Walsh comenta:
Isto é de facto uma declaração notável. A solução feminista para a rejeição de mulheres promiscuas é recrutar o maior número possível de mulheres para a promiscuidade de forma a que o mercado de mulheres sexualmente inexperientes desapareça.

Por outras palavras, os homens teriam a sua diversão enquanto fossem estudantes universitários mas quando chegasse a hora de casar, a sua única opção seriam as mulheres "frutíferas".

Esta declaração é interessante porque mostra que os homens não podem ser convertidos para o pensamento feminista.

O Movimento das Mulheres destruiu muitos muros mas o cérebro do homem é a sua última fronteira - e o cerco feminista não consegue erradicar esta dualidade de critérios.

A reacção feminista às consequências não previstas e indesejáveis do seu feminismo é tipicamente fascista. Em vez de re-avaliar as suas crenças, o que as feministas tentam fazer é reduzir todas as mulheres a objectos sexuais de forma a que os homens não tenham por onde escolher senão entre uma delas.

Talvez por isso é que as feministas tenham um ódio tão grande pelas mulheres que mantém o seu respeito e não sigam o caminho da "auto-valorização" através promiscuidade sexual. Essas mulheres - aquelas suficientemente confiantes para saber que não precisam de sexo para se sentiram "poderosas" - estão literalmente a condenar as feministas a uma velhice infeliz e solitária.



PS: Vejam também como a mulher ocidental [feminista], "forte e independente", é fiável:

"Amo meu namorado mas quero dar pra outro"

Eu amo meu namorado, temos 4 anos e meio de namoro, e temos discussõezinhas bobas, como todo mundo, mas nunca brigamos sério ou terminamos, nada!

Eu já namorei antes, e sei q amar mesmo, só amei esse meu atual, mas ultimamente não sei o q está acontecendo, acho q estou com uma queda por um colega de trabalho!

Isso começou a acontecer depois q sonhei com ele, e foi mto bom, diga-se de passagem. Ele tb namora, e eu odeio a namorada dele, pq ela é mto chata, tem umas atitudes péssimas com ele, sempre a odiei, pq ele é mto legal e não merecia passar pelo q ele passa.

Ele é um doce d pessoa, do tipo q abre a porta do carro pra mim, super carinhoso, me abarça, me leva presentinhos...isso td tá me deixando mto confusa!!

Me sinto culpada pelo meu namorado. Até pensei em dar um tempo com ele, mas não consigo, pq sinto falta dele...tentei não vê-lo no fds mas não resisti! E qndo tô com ele é td mto bom, não tenho pq terminar...a gnt se ama, o relacionamento tá ótimo, o sexo, td!

Mas me sinto mal por pensar no amigo... acho q só queria fazer sexo com ele e pronto, nunca faria isso pq abomino traição. Mas não quero terminar meu namoro por um motivo besta!

Prevejo que o número de casamentos entre indianas e homens ocidentais aumente no futuro próximo.

27 comentários:

  1. Excelente artigo.

    Se, por um acaso, todas as mulheres se tornassem promíscuas, a única alternativa viável seria abolir o casamento por completo. Simples assim.

    Se toda a comida que você tem disponível está contaminada, você come? Não. Ou você tenta encontrar algum alimento isento de contaminação, ou, simplesmente, morre de fome.

    ResponderEliminar
  2. Não concordo com a questão da educação. Sou casado e minha esposa tem nível superior, nem por isto ela é arrogante ou mesmo feminista. Ela é uma mulher doce e companheira, cumpre com suas obrigações de esposa e me ama. O problema não é a educação, e sim o feminismo que tomou conta das universidades.

    ResponderEliminar
  3. Na India é a família da noiva que paga dote para o noivo, e nenhuma mulher indiana pede dinheiro para casar, estranho um homem que casou com uma indiana dizer ao contrário.
    Ser submissa nunca foi uma qualidade, só se o homem quiser dominar a mulher, caso contrário para que vai querer uma mulher que baixe a cabeça para tudo que ele quer?
    Ah ! sou homem e hétero, mas não quero dominar ninguém, não preciso disso para afirmar minha masculinidade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Beto Lopes,
      Ser submissa é muito mais do que "baixar a cabeça para tudo que ele quer".

      Eliminar
    2. Parabéns, Beto Lopes, você é o verdadeiro homem, que não precisa se autoafirmar com uma SUB a fim de se autoafirmar como um ser arrogante e prepotente que não vive se não tiver uma inferior para beijar-lhe os pés, a fim de se sentir valorizado, no fundo são pobres pessoas com a estima lá em baixo, aí precisam ter alguém bem passivo, sem voz e nem vez para dominar.

      Eliminar
  4. Qual sua definição de submissa Lucas?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando se fala de submissão da mulher ao marido pensa-se em algo mau e arcaico, mas a única submissão que um homem decente poderia aceitar é submissão bíblica pois tal se refere em que a mulher deve ser o "braço direito" do homem por assim dizer e ajudá-lo em tudo no dia a dia e construir um projecto de vida a dois que possa ser agradável para os dois e para a prole do casal, mas o que se vê hoje em dia é mulheres constantemente a desafiarem o seu marido até nas mais pequenas coisas como o que vestir(ela se veste como uma vadia, envergonhando o marido) ou gastando as poupanças do casal que poderiam ser úteis na reforma ou educação dos filhos.
      Mulheres que constantemente enchem os ouvidos do marido com queixas e só causam tensão e tornam o ambiente em casa impossível, mais usando o sexo como moeda de troca para ter o que ela quer ou então a negação de sexo causando assim rapidamente a separação do casal e muito mais...em vez de ajudarem o marido, prejudicam-no e a elas também a longo termo sem o saberem.

      alguns links:

      http://www.asaida.org.br/mulher-submissa.htm

      http://www.estudosdabiblia.net/d31.htm

      http://www.webartigos.com/artigos/a-submissao-da-mulher-a-luz-da-biblia-e-o-uso-equivocado-do-termo/70396/

      Eliminar
    2. Gostei de sua definição Maxv2.

      Eliminar
  5. Interessante PS: o sujeito é bom mas é maltratado pela namorada (se fosse um cafa, ela nunca faria isso impunemente); a garota acha que ele não merece isso mas pensa em trair o próprio namorado ("só sexo", nada de mais). Namorar um pobre coitado e divertir-se com outro...realmente não dá para confiar nessa amoralidade: já vi muito disso por aí.

    Homens, penitenciemo-nos de nossos pecados, larguemos essas mulheres para lá e levemos uma vida de oração e castidade; entregai as mulheres aos cafas e que eles sejam felizes juntos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabe Anacoreta, eu tenho um caso em minha família, onde a mulher é uma verdadeira praga para o marido, eu fico só olhando e pensando como esse cara aguenta essa "bruxa".Eu gostaria de saber por que um homem se submete a ser maltratado , ele esperneia e depois fica um cordeirinho.
      Será que homens também gostam de mulheres assim? ele não é o único que conheço.

      Eliminar
    2. Ninguém gosta de bruxas. Tolerar não é gostar.

      Acho que um homem assim pode ser:

      1. já era um cordeirinho e acredita que ser bom é ter que aguentar tudo passivamente (crê nas falácias feministas e no pacifismo, bandeiras marxistas); se não o for, deve estar lobotomizado por calmantes;

      2. não sabe o que fazer: acha que as mulheres são bruxas e não têm jeito (também crê nas falácias feministas); para piorar, conta com cafas estúpidos que lhe dizem para dar a ela mais orgasmos, uma boa surra, arrumar outra, ou que ele é um maricas por deixar isso acontecer - ninguém sabe que homens maltratados não contam com a compreensão nem o apoio de ninguém, menos ainda do Estado e seu poder judiciário pró-feminista; o problema da surra é que, se ela não gostar, ele vira mais um personagem das páginas policiais (isso só funciona com cafas, que a ameaçam de morte e cumprem a ameaça - homens de bem dificilmente fazem isso e se ferram);

      3. finge que gosta, aguenta firme e dá a ela tudo o que ela quer para ficar livre da mesma enquanto vai buscar satisfações em outros lugares, já que ficar com ela é um inferno e tentar ficar livre dela pode ser outro inferno(trabalho, bebedeiras, jogos, outras mulheres, pescarias, etc); pode estar dando-lhe o troco de alguma maneira; é comodismo de não querer perder a casa nem se separar duma quadrilha que ele acha que é sua família (geralmente, os filhos também passam a desrespeitar pais assim, seguindo o modelo da mãe, que consegue tudo no grito); é chantagem, não casamento; caso mais comum;

      4. realmente é um maricas (chamam isso de mangina, acho), que troca umas migalhas de sexo por essa chantagem (crê nas falácias feministas - viu no que dá acreditar em igualdade, liberdade e fraternidade dos liberais, comunistas, maçons e feministas? Olhe o tipo de homem que prevalecerá no futuro...); é preciso jogar duro;

      5. Nelson Rodrigues dizia que uma mulher é ou honesta e chata ou safada e boazinha; ele deve ter acreditado nisso;

      6. ele deve estar dando a outra face e pagando seus pecados estoicamente - mas também isso tem limites;

      7. ele leva os votos de casamento a sério demais: a Igreja pode não admitir o divórcio mas admite a separação e até a declaração de nulidade de casamentos assim;

      8. é cego, surdo, mudo e retardado: não reconhece que lida com uma psicopata.

      Escolha o que lhe parecer melhor.

      O negócio é evitar a peste: oração, penitência, esmolas (mulher detesta gente assim: que gosta de silêncio e solidão - trabalha menos, detesta conforto, dá tudo que sobra para os pobres). Amor, só de Deus e para Deus! Quem precisa de mulher vivendo assim? Vamos reviver os padres e monges do deserto! Quem quiser ficar livre delas, basta levar uma vida anacorética e penitente.

      Eliminar
  6. 1. já era um cordeirinho e acredita que ser bom é ter que aguentar tudo passivamente (crê nas falácias feministas e no pacifismo, bandeiras marxistas); se não o for, deve estar lobotomizado por calmantes;

    Pior que não, foi criado em uma família machista, onde só a mulher trabalha dentro de casa, mudou quando casou, ajuda em tudo.
    3. finge que gosta, aguenta firme e dá a ela tudo o que ela quer para ficar livre da mesma enquanto vai buscar satisfações em outros lugares, já que ficar com ela é um inferno e tentar ficar livre dela pode ser outro inferno(trabalho, bebedeiras, jogos, outras mulheres, pescarias, etc); pode estar dando-lhe o troco de alguma maneira; é comodismo de não querer perder a casa nem se separar duma quadrilha que ele acha que é sua família (geralmente, os filhos também passam a desrespeitar pais assim, seguindo o modelo da mãe, que consegue tudo no grito); é chantagem, não casamento; caso mais comum;

    Ele da muito valor a família, com certeza não é adúltero, os filhos amam o pai, em caso de separação todos ficariam com ele se podessem escolher.
    Mas acredito que ele ama a esposa.
    Comodismo é para ela.

    8. é cego, surdo, mudo e retardado: não reconhece que lida com uma
    psicopata.

    Essa esta mais pr´xima do que pensar.

    As outras alternativas, eu não sei te dizer.

    obs: quando descobri o blog, me equivoquei em relação ao conteúdo. Pensei que era um blog contra todas as mulheres,pensei: tem tantos homens que não prestam também. Depois me aprofundando, vi que se tratava do tal feminismo radical, eu não conheço feministas radicais assim.
    Embora não concorde com tudo que é postado aqui, tem bons conteúdos e podemos para para pensar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 1. Não importa: aprendeu o feminismo em algum lugar.

      Mas mulher dona-de-casa faz uma família machista? Mais um raciocínio marxista: ou estão do lado das feministas ou são machistas (dialética marxista: opressor x oprimido). Já pensou que onde o feminismo não reina há a possibilidade de não haver machismo? Família normal para comunista = machismo!!!

      3. Ele conheceu o lado bom da esposa e aposta nele. Muitas mulheres só mostram o lado A do disco antes de se casarem. Depois, mostram o lado B (música ruim) e mostram o lado A uma vez ou outra (e elas afirmam que "mudaram" - e jogam a culpa nele). Na verdade, apenas se revelaram. Acho que ele gosta do lado A mas tem que aguentar o lado B. É preciso ser uma fortaleza moral, física e espiritual para aguentar essas bruxas .

      8. Faz-se de cego para o lado B. Só enxerga o lado A. Não quer reconhecer o lado B ou aprendeu bem a lidar com ele.

      Muitos homens não prestam: culpa de pais e mães que não lhes deram limites e os mimaram (as mães também têm culpa nisso). Muitas mulheres também não valem nada e ainda posam de santas (pior ainda: agravante da hipocrisia, algo que as mulheres sabem fazer muuuuuuuuito melhor do que os homens - fingir).

      O feminismo é derivado do marxismo: vai do vermelho maoísta ou leninista até o rosado "social-democrata".

      Toda feminista se trai num comentário ou atitude. E quase toda mulher é feminista. O feminismo radical gera reação mais violenta mas o feminismo rosado, leve, é o mais perigoso de detectar e o que mais causa destruições hoje em dia, pois é o marxismo cultural corroendo e corrompendo a civilização e as mentes das pessoas.

      Quase todas as feministas que você conhece são rosadas, do marxismo cultural. Teste-as e descubrirá quem são. Elas juram que não o são!!!

      Homens não odeiam mulheres. Homens odeiam feministas e outras manipuladoras. Você também odiaria um machista e manipulador. Simples, não?

      Eliminar
  7. o feminismo proporcionou grandes vitórias tanto para os homens como para as mulheres, e eu digo no sentido humanitário e não de gênero. na teoria era tudo lindo e maravilhoso, mas na prática não era assim. e é óbvio que as mulheres eram mais ''felizes'' antes, porque elas não tinham muitas opções e escolhas de ter uma vida diferente daquela que eles lhes proporcionavam. e o mundo, não só mulheres, já foi bem mais feliz porque hoje é um mundo mais estressado. e as mulheres tem ambições de se sentirem importantes como seres humanos, estudando se profissionalizando, até sendo boas mães. o problema é que isso de uma sobrecarga para a mulher, porque além dela trabalhar fora, AINDA tem gnt que acha que a MULHER é a única responsável para o trabalho do LAR. sendo que isso deveria ser divido, afinal, mulher não tem destino natural e biológico de ser empregada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. o problema é de vocês mesmas, que culpa tem os homens se as mulheres querem abraçar o mundo com as pernas?? que culpa tem o homem da mulher moderna querer o melhor dos dois mundos ao mesmo tempo?? toda escolha na vida tem ônus e bônus, e isso parece que a mulher moderna faz questão de ignorar, tudo tem causa e consequencia!!

      Eliminar
  8. No mesmo post tu dizes que estás do mesmo lado na defesa dos homens de bem e das mulheres que se dão ao respeito, mas mais em cima dizes que concordas com "casamentos abertos" e sexo sem qualquer tipo de compromisso.
    Não há aí uma contradição moral?

    Há contradição moral sim. Se for observada a moral cristã, a contradição é enorme.
    E se for islâmica, também é contradição.
    Se for levado em comparação a cultura ocidental é contradição sim.

    Defender os homens de bem e ao mesmo tempo o sexo sem compromisso é contraditório. E é imoral pois mostra como somos animais sem moral e seres que agem pelo impulso primitivo. Fazer sexo fora do casamento e sem qualquer tipo de compromisso é imoral sim.

    Se considera uma anarquista, mas ainda acha que pode defender a moral.
    Até o Coringa (do filme Batmam) que é um louco e anarquista nunca cometeria uma contradição dessas.

    ResponderEliminar
  9. Noasa, quem é o cretino que escreve essas besteiras?

    ResponderEliminar
  10. Bem pode apagar . Mais sabia que você é um cretino por escrever uma matéria dessa .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estás à vontade para refutar o que o texto diz (se conseguires).

      Eliminar
  11. Não concordo com a parte da educação. Mulher precisa entender o q acontece no mundo, ter pensamentos mais profundos etc. Um homem que procura uma companheira, em todos os sentidos da palavra, provavelmente não aguentaria uma mulher com quem não pode conversar, que não consegue acompanhar o raciocínio dele, que não conseguiria apoiar, dar conselhos, ajudar etc. Um homem que procura uma mulher sem educação, propositalmente, pq acha que assim vai ser mais fácil, provavelmente quer uma empregada, não uma esposa. E no futuro vai se sentir solitário.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sra Duarte, a solidão faz parte da vida de todos os seres humanos. Todos nós, em determinado momento, nos sentimos solitários, isto é um fato.

      E desde quando para se "ter pensamentos mais profundos" tem que se estudar (educação, ou fazer um curso superior?). O que acaba acontecendo em grande número das vezes, é que quanto mais a mulher estuda, mais ela vê seu marido/ namorado/ noivo como um INIMIGO, um CONCORRENTE, o qual deve ser eliminado, ou passado para trás (enganado, xingado, vilipendiado).

      Infelizmente, a maioria das mulheres modernas são assim. Triste, mas verdadeiro.

      Eliminar
    2. Sra. Duarte, estou plenamente de acordo consigo. Sou cristão e acredito na Bíblia como guia de vida, por considerar tal livro como sendo a palavra de Deus. Isto para dizer que acredito em duas coisas básicas, no meu entender:
      1 - A mulher deve estar "sujeita" ao seu marido: "A esposa esteja sujeita ao marido, como ao Senhor, porque o marido é cabeça da esposa, assim como o Cristo é cabeça da congregação". (Efesios 5:22,23);
      2 - O marido deve tomar o máximo cuidado em cumprir as palavras seguintes também na carta de Efesios em 5:25: "Marido, continue a amar a sua esposa, assim como também o Cristo amou a congregação e se entregou por ela"
      Bom, reparem que coloquei a palavra "sujeita" entre aspas. Esta é uma palavra que muitas vezes gera reações negativas. Mas a sujeição que se refere o apóstolo Paulo não é aquela que muitos homens pretendem - uma esposa passiva, sem voz, uma criada para todo o serviço. Antes, refere-se àquela esposa que tem profundo respeito pelo seu marido (aquele que é capaz de dar a sua vida por ela...) não tomando atitudes desafiadoras e esforçando-se por colaborar com ele até mesmo quando não está de acordo com alguma decisão por ele tomada; evidentemente quando não se trate de decisões graves para o bem estar familiar...
      Resumindo, a esposa deve respeitar o seu marido e o marido deve amar a sua esposa...

      Eliminar
    3. Sr. Ricardo, talvez a Sra. Duarte estivesse pensando na escolaridade geral, não necessariamente em estudos superiores. Ainda assim, acredito que a mulher poderá ter um curso superior e não ser uma feminista... é de facto uma questão interessante! Mas, claro, sabemos que os meios universitários são poderosos "formatadores" do pensamento Humano (da mulher mas também do homem!). Em suma, pessoalmente, não desejo a formação universitária nem para mim mesmo, como homem, e também não a desejo para as mulheres...

      Eliminar
  12. Vivemos em uma sociedade dominada pelos homens onde a maioria das famílias acredita que é melhor ter filhos homens, pois sabem que as mulheres são reprimidas. Isso foi escrito por uma jovem indiana que por incrível que pareça escolheu pensar...

    ResponderEliminar
  13. Mulher submissa eu não aceito..ela deve ser informada e culta.Um homem que deseja uma mulher assim é machista ao extremo.Mulher dócil ou ignorante,para domesticar???Me poupe homem...ai vc sai por ai catando outras...a coitada em casa limpando???

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Informada" e "submissa" não são mutuamente exclusivas. Uma mulher pode escolher ser submissa ao marido mas ser uma mulher muito bem informada.

      Eliminar
  14. Na cultura indiana, quem dá o dote é a família da noiva. Eu sou brasileira e meu esposo é indiano, e ele fez questão de me ajudar nos estudos e para eu realizar meu sonho de ser advogada . Ele se orgulha disso. Na nossa família as mulheres indianas trabalham até mesmo em órgãos do governo. Por isso acredito que a ideia de mulher ideal é uma ideia particular de cada homem, não existe um modelo de mulher ideal como aponta o autor. Aquela é ideal para ele, mas não é para outro.

    ResponderEliminar

Os 10 mandamentos do comentador responsável:
1. Não serás excessivamente longo.
2. Não dirás falso testemunho.
3. Não comentarás sem deixar o teu nome.
4. Não blasfemarás porque certamente o editor do blogue não terá por inocente quem blasfemar contra o seu Deus.
5. Não te desviarás do assunto.
6. Não responderás só com links.
7. Não usarás de linguagem PROFANA e GROSSEIRA.
8. Não serás demasiado curioso.
9. Não alegarás o que não podes evidenciar.
10. Não escreverás só em maiúsculas.
-------------
OBS: A moderação dos comentários está activada, portanto se o teu comentário não aparecer logo, é porque ainda não foi aprovado.

ATENÇÃO: Não será aceite comentário algum que não se faça acompanhar com o nome do comentador. ("Unknown" não é nome pessoal).

ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

PRINT