quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Reino Unido financia 9.500.000 Esterilizações Forçadas na Índia para "Deter o Aquecimento Global"


Os principais membros de proeminentes ONGs indianas acusaram de "racismo" o governo do Reino Unido em função de "dezenas de milhões de libras" para esterilizar pobres da Índia no que eles dizem ser uma tentativa equivocada de combate ao aquecimento global.

O governo do Reino Unido tem financiado agências que prometem realizar um certo número de esterilizações, uma quota que foi aparentemente cumprida com crueldade total e uma insensibilidade chocante, de acordo com a matéria do canal internacional de notícias, Russia Today:

video

A reportagem do canal Russia Today visitou a Índia e falou à polícia local que lhes disseram que eles invadiram os escritórios das agências de ajuda locais e confiscaram vídeos que mostram os maus-tratos terríveis nas mulheres. Em alguns casos, isso envolveu mais de 80 esterilizações sendo realizadas em apenas 3 horas em ambientes sem nenhuma higiene, numa escola local.

O jornal Britânico The Guardian também detalhou relatos de que as mulheres foram operadas deitadas na palha em dependências e saiam gritando de dor de acordo com as ONGs e defensores dos direitos humanos:

"Activista dos direitos humanos, Devika Biswas disse ao tribunal que "esterilizações desumanas, particularmente nas áreas rurais, continuam com descaso pela vida das mulheres pobres". Biswas afirmou que 53 mulheres pobres e de baixa casta foram caçadas e esterilizadas em operações realizadas por tochas que deixou três sangrando muito e levou a um aborto, uma mulher que estava grávida de três meses. "Após as cirurgias, todas as 53 mulheres estavam chorando de dor. Embora tivessem necessidade desesperada de cuidados médicos, não apareceu ninguém para ajudá-las", disse ela.

Numa entrevista ao Canal de Notícias, o Dr Abhisit Das, director do Centro de Saúde e da Justiça Social, disse que o programa inteiro fedia a mentalidade de velho imperialismo do "colonialismo" e "racismo" onde os pobres foram responsabilizados pelos excessos dos ricos. Relatado no Russia Today.

Um documento recém-lançado mostra que o governo britânico está interessado em reduzir a população da Índia para reduzir gases de efeito estufa para combater o aquecimento global.

As agências recebem 1.500 rúpias por esterilização do Governo Britânico que, de acordo com um documento de trabalho publicado no combate ao aquecimento global, "argumentou que a redução do número da população iria cortar gases de efeito estufa". 1.500 rúpias é um pouco mais de 17 libras esterlinas e o Governo Britânico destinou 166 milhões de libras para o esforço, que significa aproximadamente a nove milhões e meio de esterilizações.

Hoje, ambos, a reportagem do canal Russia Today e do The Guardian concordam que as esterilizações eram muitas vezes realizadas por força ou engano, e frequentemente em condições horríveis, medievais e demonstravam uma preocupação apenas com o cumprimento de quotas e um desprezo pelo bem-estar das mulheres operadas.

No entanto, como o Governo Britânico financiou apenas as agências em sua "batalha contra o aquecimento global", eles negaram qualquer conhecimento sobre isso, e - é claro - emitiram uma condenação. Um pouco tarde demais, porém, para as dezenas de milhares de vítimas desta última batalha contra o aquecimento global.


4 comentários:

  1. lucas você poderia publicar um caso no seu blog. Esse caso se passa em 1929 ocorrido com Nelson Rodrigues para como desde aquela epoca a justiça já era manipulada. Esse trecho foi retirado da wikipedia:

    Nelson seguiu os seus irmãos Mílton, Mário
    Filho e Roberto integrando a redação do novo
    jornal. Ali continuou a escrever na página de
    polícia, enquanto Mário Filho cuidava dos
    esportes e Roberto, um talentoso desenhista,
    fazia as ilustrações. Crítica era um sucesso de
    vendas, misturando uma cobertura política
    apaixonada com o relato sensacionalista de
    crimes. Mas o jornal existiria por pouco tempo.
    Em 26 de dezembro de 1929, a primeira página
    de Crítica trouxe o relato da separação do casal
    Sylvia Serafim e João Thibau Jr. Ilustrada por
    Roberto e assinada pelo repórter Orestes
    Barbosa, a matéria provocou uma tragédia.
    Sylvia, a esposa que se desquitara do marido e
    cujo nome fora exposto na reportagem
    invadiu a redação de Crítica e atirou em
    Roberto com uma arma comprada naquele
    dia. Nelson testemunhou o crime e a agonia do
    irmão, que morreu dias depois.
    Mário Rodrigues, deprimido com a perda do
    filho, faleceu poucos meses depois. Sylvia,
    apoiada pelas sufragistas e por boa parte da
    imprensa concorrente de Crítica, foi absolvida
    do crime. Finalmente, durante a Revolução de
    30, a gráfica e a redação de Crítica são
    empastelados e o jornal deixa de existir. Sem
    seu chefe e sem fonte de sustento, a família
    Rodrigues mergulha em decadência financeira.
    Foram anos de fome e dificuldades para todos.
    Pouco afinados com o novo regime, os
    Rodrigues demorariam anos para se
    recuperarem dos prejuízos causados pela
    tuberculose.

    ResponderEliminar
  2. Lucas, veja isso:
    http://lucianoayan.com/2012/08/22/capita-dos-marines-dos-eua-pede-penico-chega-de-igualdade-mulher-nao-da-para-ser-soldado/

    Agora elas não podem dizer que nós não avisamos...

    ResponderEliminar
  3. Estão definitivamente no mesmo nível do nazismo e o comunismo. Os responsáveis deve responder por crime contra a humanidade e serem condenados a morte.

    ResponderEliminar

Os 10 mandamentos do comentador responsável:
1. Não serás excessivamente longo.
2. Não dirás falso testemunho.
3. Não comentarás sem deixar o teu nome.
4. Não blasfemarás porque certamente o editor do blogue não terá por inocente quem blasfemar contra o seu Deus.
5. Não te desviarás do assunto.
6. Não responderás só com links.
7. Não usarás de linguagem PROFANA e GROSSEIRA.
8. Não serás demasiado curioso.
9. Não alegarás o que não podes evidenciar.
10. Não escreverás só em maiúsculas.
-------------
OBS: A moderação dos comentários está activada, portanto se o teu comentário não aparecer logo, é porque ainda não foi aprovado.

ATENÇÃO: Não será aceite comentário algum que não se faça acompanhar com o nome do comentador. ("Unknown" não é nome pessoal).

ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

PRINT