domingo, 8 de Julho de 2012

Inglaterra: chamar alguém de "gordo" pode dar prisão

Chamar alguém de "gordo" ou "gorda" pode em breve ser acrescentado à lista de crimes de pensamento ódio que podem lançar uma pessoa na prisão. No entanto, e como seria previsível, surgiram já receios de que até os médicos podem ter reservas em notificar os seus pacientes de que eles estão com peso a mais.

De certa forma, estes receios justificam-se. Apesar de existirem mais de 2 milhões de crianças com peso a mais no Reino Unido, e a engordar a um ritmo duas vezes superior que o ritmo das crianças americanas, Rosi Prescott da YMCA, que aconselhou o grupo Parlamentar em torno da imagem corporal e propôs a nova lei, acredita que não existem razões para se informar as pessoas que elas estão obesas, mesmo que essa informação seja transmitida por médicos.

Prescott diz:

A sociedade deveria ser mais tolerante com os obesos . . . Se eles não se sentem obesos, e se não há complicações de saúde, qual é o problema?
O problema é que vários estudos já demonstraram que os obesos consistentemente subestimam o quão gordos são, especialmente se a maior parte dos amigos e familiares partilhar da sua massa corporal.

Para além disso, inúmeros relatórios epidemiológicos inequivocamente mostram que, aqueles que são obesos desde a mais tenra idade são mais susceptíveis de contrair doenças coronárias, diabetes do tipo dois, cancro e morrer mais cedo que aqueles com o peso mais saudável.

No entanto, pessoas como Rosi Prescott defendem que o mais importante não é o que a medicina diz, mas sim o que as pessoas subjectivamente "sentem".

Mais grave ainda é a noção de se lançar uma pessoa na prisão apenas e só por dizer que outra pessoa está gorda. O politicamente correcto aparentemente toma preeminência sobre a realidade.



5 comentários:

  1. Resolveu-se, então, o problema da obesidade na Inglaterra.

    ResponderEliminar
  2. Bem, esta coisa do politicamente correcto está a ficar realmente assustadora!

    Por este andar, qualquer dia bastará dizer que não se gosta do penteado ou do vestido de uma pessoa para se ir parar à prisão!

    ResponderEliminar
  3. Então se um leproso não se sentir um leproso, não se deve dizer a ele que tem lepra? É essa mesmo a lógica?
    Então se um negro não se sentir como um negro, não se deve dizer a ele que é negro?
    Mas esse pessoal apela, viu...

    ResponderEliminar
  4. Nos Estados Unidos o politicamente correcto também está a tomar proporções engraçadas, a solução deles é eliminar palavras tais como:

    dinossauros, segundo eles pode ofender os fundamentalistas;
    aniversário, pois não é celebrado pelas Testemunhas de Jeová;
    Halloween, porque sugere paganismo;
    dança, à excepção de ballet, porque alguns sectores opõem-se-lhe;
    terrorismo é demasiado assustadora e pode traumatizar;
    pobreza e riqueza, pois pode gerar inveja entre as crianças;
    divórcio e doença, podem traumatizar as crianças de lares cujos familiares se divorciaram ou que estejam doentes;
    entre outras palavras.
    Curiosamente não encontrei a palavra gordo na lista, mas também não me surpreenderia.

    A noticia está aqui

    ResponderEliminar
  5. É a mesma lógica em relação a questão dos travestis, onde as outras pessoas estão sendo obrigadas a vê-los e tratá-los como mulheres, ou seja, não vale o que o sujeito enxerga com os seus olhos, e sim o que o outro sente, se o travesti se sente mulher, deve ser tratado como uma.
    Isso é um assunto mais sério do que parece, o filósofo Olavo de Carvalho costuma falar muito sobre isso, eu tentarei resumir, porém para quem quer mais informações a respeito é melhor procurar em textos ou programas do próprio mestre Olavo.
    Essa questão colocada no artigo se trata de uma técnica chamada de estimulação contraditória que quebra as defesas psicológicas e causa a Dissonância Cognitiva, estado mental que deixa o indivíduo totalmente submisso.

    Leonardo Barbosa

    ResponderEliminar

Os 10 mandamentos do comentador responsável:
1. Não serás excessivamente longo.
2. Não dirás falso testemunho.
3. Não comentarás sem deixar o teu nome.
4. Não blasfemarás porque certamente o editor do blogue não terá por inocente quem blasfemar contra o seu Deus.
5. Não te desviarás do assunto.
6. Não responderás só com links.
7. Não usarás de linguagem PROFANA e GROSSEIRA.
8. Não serás demasiado curioso.
9. Não alegarás o que não podes evidenciar.
10. Não escreverás só em maiúsculas.
-------------
OBS: A moderação dos comentários está activada, portanto se o teu comentário não aparecer logo, é porque ainda não foi aprovado.

ATENÇÃO: Não será aceite comentário algum que não se faça acompanhar com o nome do comentador. ("Unknown" não é nome pessoal).

ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

PRINT