sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Solzhenitsyn quebra o último tabu da revolução Soviética

Por Nick Paton Walsh (25 de Janeiro de 2003)

Alexander Solzhenitsyn, que revelou ao mundo os horrores dos gulags Estalinistas, está, agora, a tentar lidar com um dos tópicos mais sensíveis da sua carreira como escritor: o papel dos Judeus dentro da revolução Bolchevique e dentro das purgas Soviéticas.

No seu livro mais recente, Solzhenitsyn, de 84 anos [ed: morreu em 2008], lida com um dos últimos tabus da revolução comunista: que os Judeus foram, ao mesmo tempo, os perpetradores da repressão, como foram as vítimas.

O livro "Two Hundred Years Together" ["Duzentos Anos Juntos"] - referência à anexação parcial da Polónia e da Rússia em 1772 que aumentou de modo considerável a população judaica na Rússia - contém três capítulos que discutem o papel dos Judeus no genocídio revolucionário e nas purgas da Rússia Soviética.

Mas os líderes Judeus e alguns historiadores reagiram de modo furioso ao livro, e colocaram em causa os motivos que levaram Solzhenitsyn a escrever este livro, acusando-o de imprecisões factuais e de atiçar as labaredas do anti-semitismo na Rússia.

Solzhenitsyn alega que alguma da sátira Judaica do período revolucionário "conscientemente ou inconscientemente ataca os Russos" como estando por trás do genocídio. Mas ele declara que todos os grupos étnicos têm que partilhar da culpa, e que as pessoas evitam falar a verdade em relação à experiência Judaica.

Numa declaração sua, que enfureceu os Judeus russos, ele escreve:

Se eu quisesse generalizar, e dissesse que a vida dos Judeus nos campos [gulags] era especialmente difícil, eu poderia generalizar, e não enfrentaria repreensão devido a uma generalização nacional injusta. Mas nos campos onde estive, as coisas eram diferentes. Os Judeus cuja experiência eu testemunhei tinham uma vida mais facilitada que os demais.

No entanto, ele acrescentou:

No entanto, é impossível encontrar a resposta a essa questão eterna: quem é o culpado, quem nos levou à morte? Explicar as acções da Tcheka de Kiev [polícia secreta] apenas através do facto de dois terços da mesma ser composta por Judeus está certamente incorrecto.

Solzhenitsyn, que recebeu o prémio Nobel da Literatura em 1970, passou a maior parte da sua vida nos campos-prisão Soviéticos, sofrendo perseguição sempre que escrevia sobre as suas experiências.

Actualmente, ele está com saúde frágil, mas numa entrevista dada durante o mês passado, ele disse que a Rússia tem que resolver a questão do Estalinismo e dos genocídios revolucionários, e que a população Judaica tem que se ofender do seu papel nas purgas tal como eles estão ofendidos com o poder Soviético que também os perseguiu.

O meu livro tem como objectivo gerar empatia com os pensamentos, os sentimentos e a psicologia dos Judeus - a sua componente espiritual. Nunca fiz conclusões gerais em torno dum povo. Eu irei sempre distinguir entre as várias camadas de Judeus. Uma camada rumou directo à revolução, mas outra, pelo contrário, tentou ficar à margem das coisas.

Há já muito tempo que o tópico Judaico tem sido proibido: Zhabotinsky [escritor judeu] disse a dada altura que 'a melhor coisa que os amigos Russos poderiam fazer por nós é nunca falar em voz alta sobre nós.'


(...)

O Professor Robert Service da Universidade de Oxford, perito na história Russa do século 20, disse que, em relação ao que ele já tinha lido sobre o livro, Solzhenitsyn está  "absolutamente correcto". 

Pesquisando um livro sobre Lenine, o Prof. Service deparou-se com detalhes sobre a forma como Trotsky, que era de origem Judaica, pediu ao  politburo em 1919 para garantir que Judeus eram alistados ao exército Vermelho. Trotsky disse que os Judeus estavam desproporcionalmente representados na burocracia civil Soviética, incluindo na Tchecka

A ideia de Trotsky era de que a propagação do anti-semitismo era [parcialmente] devido às objecções em torno da sua entrada no serviço civil. Há alguma verdade nisto, nomeadamente, de que eles não foram apenas espectadores passivos da revolução. Eles foram parte-vítimas e parte perpetradores.

Esta não é um questão que alguém pode escrever sem te consigo uma enorme quantidade de bravura, e isto tem que ser feito na Rússia visto que os Judeus são frequentemente alvo de escrita por parte de fanáticos. O livro de Solzhenitsyn parece muito mais equilibrado que isso
(...)

* * * * * * * 

Certamente que o Judeu Trotsky estava certo nas suas afirmações quando disse que os Judeus estavam desproporcionalmente representados na burocracia civil Soviética, especialmente se levarmos em conta o seguinte:






14 comentários:

  1. https://2.bp.blogspot.com/-4CtWSmFVH0k/WCTJOGkFY5I/AAAAAAAAyXU/zbVsX-GSYuYmCkMl-iU4RsVSa2AAT1OcQCLcB/s1600/edtygey.jpg


    Trump ja esta a dar para tras

    ResponderEliminar
  2. Na "quinta dos animais" também são todos animais e todos iguais,mas uns mais iguais que outros,e no fim triunfam(supostamente) os porcos.

    ResponderEliminar
  3. Não é a toa que nos comentários dos Protocolos dos sábios de Sião, livro de puro ódio aos cristãos e toda a raça ariana, Gustavo Barroso, Historiador propositalmente esquecido no Brasil, diz: " É lugar comum entre todos os povos da humanidade que o Judeu é um povo de TARADOS E DE LOUCOS".

    Como eles dizem nos Protocolos dos Sábios de Sião: "Nós somos o culpados pelo atraso na humanidade,(...)". Prostituição, Maçonaria, Comunismo, protestantismo, tudo praga judia.. Não existe nenhum povo tão imundo como o povo judeu.

    ResponderEliminar
  4. https://www.youtube.com/watch?v=vCm_-12NYug

    Jesus o ser mais perfeito que DEUS entregou ao homem... para o Judeu está queimando num lago de excrementos e Sêmen fervente... Como levar a sério um povo assim ?

    ResponderEliminar
  5. trump diz NÃO ao alt right:
    http://www.breitbart.com/2016-presidential-race/2016/11/22/donald-trump-disavow-alt-right-groups/

    ResponderEliminar
  6. Passou um video na tv a mostrar membros do alt-right(supostamente)a fazer a continência nazi,se for verdade o Trump não pode fazer mais que dizer não,o nacionalismo(falo do legitimo e patriota)não precisa dessa gente alucinada do neo-nazismo.

    ResponderEliminar
  7. https://www.youtube.com/watch?v=HXLFmUGVmd0 a URSS terá acabado em 1991 mas o comunismo mundial não acabou.

    ResponderEliminar
  8. Einstein: judeu. Mudou o caminho ingênuo da Física.
    Sabin: judeu. Criou a vacina Sabin.
    Mendelssohn: judeu. Redescobriu Bach. Criou a música de casamento. Música erudita.
    Lewis: judeu. Calça Jeans.
    Levi-Montalcini: judia. Nobel de Fisiologia. Substância do corpo que influencia crescimento células nervosas.
    Leibnitz: judeu. Inventou o Cálculo. Pontes modernas. Prédios arranha-céu. Homem à Lua.
    Kafka: judeu. Literatura erudita fabulosa. Modernismo.
    Zuckerberg: judeu. criou o Facebook. Comunicação entre pessoas comuns. De graça.
    Heifetz: judeu. maior violinista do século XX.
    Bohr [Niels]: judeu. Física do microcosmo.
    Gerty radnitz: judia. Nobel Medicina. Melhorar compreensão do diabetes.
    Pauli: judeu. Teoria do spin do elétron.
    Heshko: judeu. Bioquímico israelense. Nobel de Química 2004.
    Ehrlich: judeu. Bacteriologista com papel fabuloso na Ciência.
    Meyerhof: judeu. Nobel de fisiologia. Metabolismo muscular.
    Max Born: judeu. Física quântica.
    Luria: judeu. Nobel de Medicina. Infecção viral na célula.
    Bloch: judeu. Medição precisa do magnetismo nuclear. Foi laureado em 1952.
    Zhores: judeu. Nobel de Física 2000. Tecnologia da Informação & Comunicação.
    Landau: judeu. Matemático. Nobel de física. Matéria condensada.
    Warners: judeu. Cinema. Entretenimento século XX.
    Perlman: judeu. Impressionante e mirabolante técnica musical. Violino.
    Lederman: judeu. Nobel de Física. Descoberta do muon. Faixes de neutrinos.
    Wald: judeu. Nobel. Descoberta da importância da vitamina A na manutenção da visão.
    Varmous: judeu. Agraciado com o Nobel de Medicina, em 1989.
    Chain: judeu. Pesquisa penicilina. Nobel.
    Katz: judeu. Estudos fundamentais da transmissão de impulsos nervosos.
    Weinberg: judeu. Unificação de 2 forças fundamentais da Natureza.
    Waksman: judeu. Estreptomicina. 1º antibiótico efetivo contra a tuberculose.
    Schönberg: judeu. Musicologia. Mudança nos padões eruditos da música instrumental do século XX.
    Shlomo Mintz: judeu. Rússia. Versatilidade no domínio de técnicas musicais.
    Gell-Mann: judeu. Economia global.
    Oppenheimer: frustou os planos de Hitler. Físico.
    Levi-Strauss: antropologia do século XX. O Estruturalismo.
    Axelrod: judeu. Bioquímico. Nobel em 1970. Fisiologia, Neurologia. Noradrenalina, transmissão de impulsos nervosos. Desenvolveu o Tylenol.
    Jesus: judeu.


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E isto prova exactamente o quê, João Luiz?

      Eliminar
    2. Isto corrobora que a realidade não reflete a verdade, assim como Jesus sabia o que dizia quando registrou o que está em João 8 44 https://www.youtube.com/watch?v=1KrvEvPsSZ4

      Eliminar
    3. A realidade é que a maioria desses judeus só ajudaram o mundo depois de se misturar com europeus (hoje em dia ta difícil distinguir um caucasiano de um judeu) e também só conseguiram sucesso ao viver no seio de uma sociedade européia. Essas pessoas não tem a menor capacidade de viver por contra própria, sempre serão um povo semi-nômade que precisa se instalar em território alheio, e para manter seu poder sobre o hospedeiro, usam da subversão, essa é a realidade dos judeus. Por esse motivo são expulsos por onde passam

      Eliminar



  9. https://www.youtube.com/watch?v=1KrvEvPsSZ4 "HITLER TENÍA RAZÓN" Rabino Yosef Tzvi ben Porat

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se apagarem novamente, basta digitar o título https://www.youtube.com/watch?v=0F1oHnehZ2M "HITLER TENÍA RAZÓN" Rabino Yosef Tzvi ben Porat e encontrá-lo em outro endereço.

      Eliminar

Os 10 mandamentos do comentador responsável:
1. Não serás excessivamente longo.
2. Não dirás falso testemunho.
3. Não comentarás sem deixar o teu nome.
4. Não blasfemarás porque certamente o editor do blogue não terá por inocente quem blasfemar contra o seu Deus.
5. Não te desviarás do assunto.
6. Não responderás só com links.
7. Não usarás de linguagem PROFANA e GROSSEIRA.
8. Não serás demasiado curioso.
9. Não alegarás o que não podes evidenciar.
10. Não escreverás só em maiúsculas.
-------------
OBS: A moderação dos comentários está activada, portanto se o teu comentário não aparecer logo, é porque ainda não foi aprovado.

ATENÇÃO: Não será aceite comentário algum que não se faça acompanhar com o nome do comentador. ("Unknown" não é nome pessoal).

ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

PRINT