domingo, 31 de Julho de 2011

David Beckham alvo de críticas por ter 4º filho

Os fanáticos adeptos pelo controle populacional e os ambientalistas radicais mostram mais uma vez a sua irracionalidade e as suas cores totalitárias ao usarem o nascimento do quarto filho do jogador de futebol David Beckham como forma subirem nos seus palanques e apregoarem a sua "moralidade" anti-natalidade..

Simon Ross, esquerdista e director-executivo da "Optimum Population Trust", qualifica a família Beckham de "exemplos muito maus". Ross insiste:

Não faz sentido algum as pessoas tentarem reduzir as suas emissões de carbono mas ao mesmo tempo aumentarem-nas em 100% ao terem outro filho.
Se estas tentativas de se incutir sentimentos de culpa não fossem suficientes, Ross apela a que se alterem os "incentivos" governamentais de modo a encorajar famílias mais pequenas, pese embora os dados demonstrarem que a dimensão das famílias já está em decréscimo em todas as regiões do mundo.

Larry Jacobs , que pertence ao "Congresso Mundial de Famílias", congratulou a família Beckham por terem "oferecido o dom da vida a mais uma criança preciosa":

Ao contrário dos mitos propagados pelos ambientalistas radicais, feministas, secularistas e os socialistas, os dados mostram que o número de crianças continua a decair. De facto, actualmente há menos 6 milhões de crianças (com idade igual ou inferior a 6 anos) do que havia em 1990.

Grupos como o "Optimum Population Trust" fazem o seu jogo suportando-se no medo e na ignorância. A sobre-população é baseada num paradigma dos anos 60 cujo um dos mentores foi Paul Ehrlich com o seu livro “The Population Bomb.”

A população mundial pode estar temporariamente a aumentar mas as taxas de natalidade mundiais caíram na ordem dos 50% desde os anos 60. Hoje, quase metade da população mundial vive em países com taxas de natalidade abaixo das necessárias para uma substituição da população.

Na Europa, o número de crianças com menos de 6 anos caiu em 36% desde 1960. De acordo com a "Nations Population Division", se os números actuais se mantiverem, por volta de 2050 haverá 248 milhões de crianças a menos no mundo com idades abaixo dos 6 anos.

Jacobs avisa:
O grupo “Optimum Population Trust" não terá que se preocupar com as alegadas pegadas de carbono quando não houver pessoas suficientes para manter em funcionamento as sociedades modernas e industrializadas. (Os economistas chamam a estas pessoas de "capital humano").

Jacobs apelou a uma discussão franca das realidades do deserto de natalidade e a importância das famílias. Ele apelou ainda aos órgãos de informação para apresentaram o outro lado da discussão em torno do debate populacional, e mostrar os benefícios sociais de se encorajar a "família natural".

O Congresso Mundial de Famílias patrocinou a primeira cimeira demográfica, “Moscow Demographic Summit: Family and the Future of Humankind” na "Russian State Social University", durante os dias 29 e 30 de Junho último. A cimeira colocou debaixo do mesmo tecto demógrafos, economistas e líderes mundiais como forma de se discutir o eminente inverno demográfico.

Fonte

Imperialismo cubano em África.

Os marxistas não são contra o imperialismo: eles são contra o imperialismo não-comunista. O imperialismo comunista pelos vistos já lhes agrada.

sábado, 30 de Julho de 2011

Os perigos da psicologia positiva

Há já alguns anos que as pessoas acreditam que elas podem mudar a forma como pensam delas mesmas - e mudar a sua vida para melhor - através de pensamento positivo e repetição de afirmações positivas. Este conselho tem sido dado por terapeutas e psicólogos através de livros de auto-ajuda, no entanto pelos menos um estudo mostrou que esta técnica pode causar mais mal que bem.

O problema.

A ideia por trás do pensamento positivo e afirmações positivas é a de que, ao serem repetidas declarações como "Eu sou uma pessoa forte" e "Eu posso atingir o sucesso", as pessoas podem mudar a forma como elas olham para si mesmas, levando a uma mudança de comportamentos e produzindo melhores resultados

Joanne Wood, professora de Psicologia (Universidade de Waterloo), decidiu testar os efeitos da práctica de afirmações positivas em pessoas com baixa estima.

O estudo.

Wood convidou 68 pessoas para participar no estudo, baseado nos seus resultados na escala de Auto-Estima de Rosenberg. Os participantes consistiam num grupo de pessoas com os resultados mais elevados e os resultados mais baixos.

Depois disto, membros dos dois grupos (os com muita auto-estima e os com baixa auto-estima) foram colocados num grupo de teste controlado. Foi dito às pessoas que estavam no grupo de teste para, após o do soar dum sino repetissem, "Eu sou uma pessoa amável" de 15 em 15 segundos .

Posteriormente, foi dito a todos os participantes (tanto os que estavam dentro do grupo de teste como os que não estavam no grupo de teste) que escrevessem sobre os seus sentimentos durante 4 minutos. Isto foi continuado com um questionário de avaliação do estado de espírito para determinar se as afirmações haviam produzido algum tipo de efeito.

Resultados.

O estudo mostrou que os participantes cujos resultados haviam demonstrado uma auto-estima baixa segundo a escala de Rosenberg sentiam-se pior em relação a si mesmos depois das afirmações - atingindo uma média de 10 na avaliação do estado de espírito que se seguiu.

Os participantes com baixa auto-estima que não haviam repetido a frase atingiram valores na ordem do 17 na avaliação do estado de espírito. No entanto, os participantes com alta auto-estima que repetiram a frase atingiram valores na casa dos 31, enquanto que os participantes com elevada auto-estima que não repetiram a frase atingiram em média valores na casa dos 25.

Conclusão:

O problema com o pensamento positivo - que os psicólogos tem revelado desde os anos 60 - é que as pessoas são mais susceptíveis de aceitar ideias mais próximas daquelas que elas já possuem e serem menos receptivas a ideias diferentes daquelas que elas sentem. Portanto, as pessoas que sofrem de baixa auto-estima rejeitarão pensamentos contrários.

De facto, o estudo da Drª Wood mostra que as afirmações positivas podem ser confusas e inacreditáveis para estas pessoas, podendo até aumentar a visão negativa que elas possuem delas mesmas.

Deste modo, o pensamento positivo pode estar a causar mais mal que bem.

Fonte

sexta-feira, 29 de Julho de 2011

Aquecimento Galáctico: o próximo eco-pânico.

Será que há leitura alternativa às notícias aterrorizadoras provenientes da NASA?

Dados recolhidos pelos satélites da NASA durante o período 2000-2011 mostram que a atmosfera terrestre está a permitir que demasiado calor seja libertado para o espaço - superando o que os modelos alarmistas haviam previsto.

O estudo indica que o aquecimento global futuro é muito menor do que os modelos informáticos das Nações Unidas haviam previsto, e suporta estudos anteriores que indicam que o aumento do dióxido de carbono atmosférico retém muito menos calor do que os alarmistas haviam alegado.

O co-autor do estudo revisto por pares (e publicado no jornal Remote Sensing) Dr. Roy Spencer declara que os dados reais do satélite "Terra" (da NASA) contradizem múltiplas pressuposições inseridas nos modelos computacionais.

As observações do satélite sugerem que há muito mais energia perdida para o espaço durante e após o aquecimento do que o que os modelos mostram. . . . Há uma enorme discrepância entre os dados e previsões, e esta é maior sobre os oceanos.
Fonte

Os governos mundiais têm que agir prontamente para acabar com a ameaça do aquecimento galáctico. Não é só o nosso futuro (e o das nossas crianças) que está em jogo, mas sim o futuro de crianças peludas com seis olhos a viver Xaraxifap VI cuja subsistência depende do término do nosso modo de vida industrial.

Claramente, as únicas formas de combater a ameaça do aquecimento galáctico são 1) disponibilizar poder ilimitado a um grupo de "homens sábios" - membros duma instituição centralizada e determinada a ter o governo mundial - e 2) financiar o seu "trabalho" com mais um conjunto de novos impostos.

Se não começarmos o combate hoje, a Via Láctea pode-se tornar na Via Gasosa.

Fim ao aquecimento galáctico, já!

Sexo seguro: versão socialista

Os esquerdistas que (des)governam o que resta da Espanha finalmente debruçam-se sobre o problema da prostituição. Solução? Forçá-las a vestirem-se como trabalhadores das construções.
Aparentemente a luminosidade oferecida pela luz vermelha não é suficiente para atrair as atenções sobre as "operárias do sexo".

Havendo sido multadas pelas autoridades locais alegadamente por serem um perigo para os veículos em movimento, as prostitutas de Els Alamus começaram a usar casacos de elevada visibilidade.

Quando as prostitutas encontrarem a morte por se lançarem à mercê da parte mais suja da sociedade (homens que buscam prazer sexual nelas), os coletes reflectores vão tornar mais fácil as buscas policiais.

Claramente, banir a prostituição é uma relíquia do passado, do tempo em que não tínhamos a tecnologia dos coletes reflectores.

spanish-prostitutes.jpg
Segurança em primeiro lugar

Por mais que os esquerdistas e os militantes ateus nos digam que "não precisamos de Deus para sermos boas pessoas", as evidências parecem indicar exactamente o contrário. Quanto mais anti-Cristã se torna um país, mais baixos são os valores morais e mais decadentes são os hábitos lá presentes.

O filósofo católico Olavo de Carvalho já afirmou (por outras palavras) o que vou dizer mais é sempre bom repetir: a religião Judaico-Cristã tem sido uma força de elevação, dignificação e preservação da espécie humana. Destruir esse firme fundamento é preparar a sociedade para a degeneração total até ser conquistada por outra ideologia.

Na Europa não é difícil ver quais vão ser os pagãos que Deus vai usar para destruir a Europa anti-Cristã (Muçulmanos). Nos EUA parece que a legião que vai ser o instrumento de julgamento de Deus é uma mistura de miúdos brancos mimados da classe média e alta (enganada pelo esquerdismo), criminosos hispânicos e alguns segmentos da comunidade afro-americana.

E onde é que nós cristãos nos encontramos no meio desta decadência total?

Nós encontra-mo-nos onde sempre nos encontramos: em Cristo.

O mundo à nossa volta é análogo ao mundo pré-Diluviano e Cristo é a Nova Arca da Salvação. Todos aqueles que estão em Cristo vão subir acima das ondas do julgamento, mas aqueles que confiam na sua própria "bondade" vão ser submergidos e atirados no fogo eterno para sempre (inferno). Para sempre!

Portanto, como cristãos e redimidos pelo Sangue do Cordeiro, nada temos que temer. Quer morramos quer vivamos, SOMOS DO SENHOR.

"Porque, se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos. De sorte que, ou vivamos ou morramos, somos do Senhor."
Romanos 14:8

quinta-feira, 28 de Julho de 2011

Ingleses começam a rejeitar o multiculturalismo

Parece que os britânicos estão a seguir a onda anti-multiculturalista que tem varrido a Europa ocidental nos últimos anos.

De acordo com uma sondagem razoavelmente abrangente levada a cabo pelo grupo com apoio governamental "Searchlight Education Trust", 48% dos 5,054 inquiridos disse que suportariam um partido que "defendesse os ingleses, criasse um parlamento inglês, controlasse a imigração e desafiasse o extremismo islâmico".

Eles haveriam também de restringir a construção de mesquitas e ordenar que a bandeira de São Jorge ou a Union Jack fossem colocadas em todos os edifícios públicos.

A mesma sondagem mostrou que 60% acredita que a imigração foi uma "coisa má" para a Inglaterra, contra os 40% que defende que foi uma coisa "boa". 34% disse que a imigração deveria ser parada de modo permanente ou até que a economia melhorasse, e 52% concordou com a frase "os muçulmanos geram problemas no Reino Unido".

Durante os 12 meses que terminaram em Setembro de 2010, 238,950 imigrantes entraram no país, o número mais elevado de sempre, desde que se começaram a registar as entradas.

A pesquisa foi levada cabo pela "Leftist Ruling Class" britânica, que é a favor da imigração maciça e multiculturalismo, e os resultados causaram preocupação.

O antigo Secretário dos Negócios Estrangeiros pelo partido esquerdista "Labour" David Miliband e o MP esquerdista Jon Cruddas revelaram oficialmente a reportagem. Os mesmos declararam que pretendem levar a cabo um projecto que visa acabar com o extremismo entre as comunidades brancas e entre as comunidades islâmicas. O projecto tem o nome de "Uma praga nas suas duas casas".

Vai ser engraçado saber como esta história acaba. Se os esquerdistas do Partido Trabalhista inglês forem inteligentes, eles vão parar de tentar vender a ideia do multiculturalismo ao povo inglês.

(Fonte)

quarta-feira, 27 de Julho de 2011

Nações Unidas Exige Corromper Crianças

A organização que se dá pelo nome de "Nações Unidas" recomenda que crianças a partir dos 5 anos de idade recebam educação sexual mandatórias que inclua a masturbação e tópicos como a violência genérica (eng: gender violence")

A UNESCO lançou um relatório com 98 páginas oferecendo um plano universal de ensino direccionado a crianças com idades compreendidas entre os 5 e os 18 anos: o mesmo visa ser uma "visão informada acerca da sexualidade, relacionamentos" e educativo em torno do HIV que eles afirmam ser essencial para "todos os jovens".

O programa vai também indoutrinar as crianças acerca do horror da "transfobia". Aqueles que atingirem a idade adulta de 9 anos vão ser ensinados acerca das benesses do aborto. Um dos objectivos é "promover o direito e o acesso aos abortos seguros".

Os adultos de 9 anos vão também aprender acerca de afrodisíacos, "as funções dos géneros sexuais, estereótipos, e violência baseada no género sexual".

Se sobrar algum tempo, e se as elas não estiverem demasiado ocupadas a "brincarem com elas mesmas", as crianças vão receber aulas de escrita e leitura.

Bem vindos ao novo mundo secular, onde as crianças vão ser mais um campo de batalha entre o bem e o mal. Remove-se Deus da vida social e ficamos com instituições como as Nações Unidas onde ensinar a masturbação a crianças de 5 anos é perfeitamente normal. Aliás, exige-se!

Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem da escuridade luz, e da luz escuridade; e fazem do amargo doce, e do doce amargo!
Isaías 5:20

terça-feira, 26 de Julho de 2011

Ludwig Krippahl e as prostitutas

Josef Stalin e os militantes ateus

Versão feminista de "igualdade"

Se um grupo de homens se reunisse e fizesse piadas sobre mutilar partes corporais uma mulher, haveria um escândalo nacional.

Agora quando feministas fazem piadas sobre a mutilação dum homem, isso já não é alvo de críticas.

Isto é o que as feminazistas chamam de "igualdade".


segunda-feira, 25 de Julho de 2011

Dalai Lama: Sou um marxista


O USA Today reportou que, normalmente, quando ouvimos falar do Dalai Lama, ele dá a voz a algum tópico pacifista ou compassivo. Devido a isto, Tsering Namgyal, jornalista radicado em Minneapolis, foi apanhado de surpresa pelas palavras do Dalai Lama a cerca de 150 estudantes chineses na Universidade local.

Segundo o jornalista, Dalai Lama disse:

No que toca a crenças socio-políticas, eu considero-me um marxista..... mas não um leninista.
Afinal de contas, a China busca legitimação do seu poder sobre o Tibete aos olhos da opinião mundial. Mas ao mesmo tempo, o líder budista é o símbolo global da resistência tibetana à ocupação chinesa.

Quando um estudante perguntou a Dalai Lama se isto não contradiz a sua filosofia, o mesmo respondeu:

Marx não era contra a religião ou contra a filosofia religiosa em si, mas sim contra as instituições religiosos que, durante o tempo de de Marx, estavam aliadas à classe governativa da Europa.

Só mesmo um esquerdista para tentar harmonizar o marxismo com a religião. Isto é o que Marx disse em relação à fé religiosa:

A religião é o suspiro [ou clamor] da criatura oprimida, o coração dum mundo sem coração, e a alma das condições sem alma. É o ópio do povo.

Dizer que Marx não era anti-religioso é ingenuindade..... mas também, que mais se poderia esperar do Dalai Lama?

domingo, 24 de Julho de 2011

Homens portugueses têm mais qualidade que as mulheres OU como irritar uma feminista com a verdade

Um artigo online com o título disposto em cima (a primeira parte) gerou as reacções previsíveis por parte das sempre irritadas e histéricas feministas.

Se forem lêr o dito artigo, verão que o mesmo fala de qualidade de vida e não de algo inerente à condição biológica de ser de homem ou mulher:

Os homens portugueses vivem em média menos tempo do que as mulheres, mas, ao contrário do resto da Europa, têm mais qualidade de vida, com menos situações de incapacidade, disse hoje uma especialista em Demografia.
Maria João Valente Rosa, a directora da Pordata, afirmou que quando olhamos para o número de anos de vida saudável, ou seja, sem incapacidade física, os homens portugueses, o que não se passa em todos os países da Europa, vivem melhor do que as mulheres.

Maria João Valente Rosa resumiu a situação em Portugal dizendo que

Os homens vivem menos tempo em média, mas vivem com mais qualidade, enquanto vivem.
As palavras são claras, concretas e precisas e de forma alguma denigrem a mulher. Mas reparem como as feministas histéricas comentaram à notícia no facebook:
"É natural que eles tenham mais qualidade, a vida corre-lhes melhor...!"

"estactísticas da treta"

"Era só o que faltava !!!"

"Quanto vale a aposta que, quem escreveu esta reportagem, foi um homem??? "

"têm melhor qualidade...de vida, as mulheres "trabalham"para eles."

"bem...o titulo não é feliz, mas uma boa parte dos comentários, menos ainda. Não sabem ler nem escrever? e a estatistica não é novidade nenhuma. Os homens têm uma vida de lord`s comparando com as mulheres. Claro que há excepções, mas."

"Quem disse isso??? deve ter Alzeimer..As mulheres têm o seu emprego,têm o trabalho de casa,têm os filhos para cuidar, aturam as turrices dos maridos, dos chefes,dos filhos, e estão sempre prontas para tudo e ainda por cima os homens têm mais qualidade que as mulheres....hum...quem disse isso!!!algum machão do século XVIII!"

"Qualidade fisica, intelectual... ou esse mais é só na estupidez???"

"Falo por mim, tenho uma vida muito mais intensa, com a cabeça cheia de responsabilidade, os homens da casa vivem como se estivessem numa pousada, teem a mãe a criada a gestora a inspectora a médica a psicóloga a chata a empata etc etc, palavras para quê.....eles vão viver menos mas mais em paz e com melhor qualidade de vida, sem dúvida......c´est la vie ou, temos pena!!!"

"Só se fôr melhor qualidade de vida....esforço menor...não será"

"Não me admirava... A mulher além de ter o seu emprego, chega a casa e trabalha novamente nas tarefas domésticas, toma conta dos filhos, logo trabalha mais. Se fosse ao contrário, de certo que o resultado do estudo seria o inverso, LOL."

"gralha, deve ler-se "Qualidade de vida", e sim, sem dúvida concordo em absoluto. A maioria não faz nenhum, 1o são servidos serviçalmente pelas mãezinhas e depois pelas mulheres com quem casam. Felizmente, parece-me que se está a operar uma mudança em Portugal, a este nível."

Etc, etc.

Reacção emotiva a um artigo inofensivo (com dados recolhidos por uma mulher) é algo que demonstra de certa forma o negativismo do feminismo. Aparentemente já nem se podem citar dados VERDADEIROS como forma de mostrar a superior qualidade de vida dos homens.

Além disso, a mentira feminista de que "os homens não fazem nenhum" é só isso: uma mentira. Segundo alguns dados, se somarmos todas as horas investidas nos empregos MAIS as horas gastas em trabalhos caseiros, os homens (não as mulheres) trabalham mais.

Mas feministas não se importam com dados e factos quando estes jogam contra a sua ideologia.

Uma frase que nos dá que pensar:

Diz-se que por trás de um homem de sucesso está uma mulher... Mas o que ninguém diz, é que por trás de um homem que fracassou, existe no mínimo 2 mulheres... Tenho dito!

Obrigado feministas: o divórcio fácil está a destruir a sociedade inglesa

O Juiz Sir Paul Coleridge aproveitou a oportunidade que lhe foi concedida durante uma entrevista à rádio BBC para ressalvar uma mensagem que ele já havia dito várias vezes: o divórcio está a destruir a vida das crianças britânicas bem como toda a sociedade.

Se o marido e a mulher concordarem, o seu casamento pode ser terminado em seis semanas - tempo superior ao necessário para se adquirir uma carta de condução - bastando para isso o preenchimento dum formulário. A consequência disto é que cerca de 3,8 milhões de crianças tem o seu futuro nas mãos dos tribunais.

Como se isso não fosse suficiente, não há sinais de que a miséria deste largo número de crianças provenientes de famílias destroçadas esteja a diminuir. Pelo contrário, os indícios disponíveis mostram que a tendência é a situação piorar.

O juiz, que está casado há 38 anos com a mesma mulher com quem tem dois filhos e uma filha, é também um forte crítico da tendência da coabitação - que acelerou o desmantelamento das relações onde havia crianças.

No dia em que os dados oficiais mostraram que cerca de metade dos bebés nascidos vem de mães solteiras, Sir Paul culpou a destruição da família às mudanças sociais incluindo a mudança de atitude em relação à coabitação e ao aumento do número de crianças nascidas fora do casamento.

Ele afirmou que há 50 anos atrás "no seu todo, a coabitação era algo que as pessoas não faziam, para terem filhos fora do casamento, e como tal, isto gerou um quadro social que impedia o colapso."

Tivemos uma revolução cultural na moralidade sexual e comportamento sexual

Temos que ter um debate razoável àcerca disto e decidir o que tem que ser feito - e eu não estou a falar do governo uma vez que eles não causaram este problema.

Nem sempre se pode dizer que o governo não tem culpa, mas acho que neste caso o juiz tem razão.

O juiz acrescentou que a mudança dos últimos 50 anos nas atitudes sociais ofereceu às pessoas "total liberdade de escolha". Isto foi bom enquanto as pessoas se comportavam de uma forma responsável, mas alguns pensavam que era "liberdade para todos".

Sir Paul disse que a taxa do colapso familiar entre os que não são casados é muito maior do que entre os casados. Segundo o legalista, é um facto confirmado que os pais são mais propensos a ficar juntos até aos 16 anos dos filhos se eles estiverem casados.

Dados oficias mostram que, em média, os casamentos duram cerca de 11 anos, mas os relacionamentos entre coabitantes duram cerca de 3 anos se os parceiros não se casarem.

Sir Paul apelou também ao governo que instalasse comissões independentes para levarem a cabo uma reforma nas leis do casamento, divórcio e assuntos familiares.


A agenda marxista avança tal como calculado. A destruição do casamento, só possível devido ao recuo dos Cristãos em relação à Autoridade da Palavra de Deus, era uma dos objectivos de Marx e companhia uma vez que, com o casamento destruído, as crianças ficam nas mãos do Estado.

Desta forma, é mais fácil impedir a transmissão de valores naturais e religiosos para os filhos quando quem "educa" as crianças é o Estado.

A Inglaterra está a colher os frutos da forte indoutrinação anti-Cristã, pró-marxista que tem vigorado por lá há algumas décadas.

sábado, 23 de Julho de 2011

Descobertos 33 corpos de sacrifícios humanos da civilização Inca no Peru

Deuteronómio 18:9-14

"Quando entrares na terra que o Senhor, teu Deus, te der, não aprenderás a fazer conforme as abominações daquelas nações. Entre ti se não achará quem faça passar pelo fogo o seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro"

"Nem encantador de encantamentos, nem quem consulte um espírito adivinhante, nem mágico, nem quem consulte os mortos: Pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao Senhor; e por estas abominações o Senhor, Teu Deus, as lança fora de diante Dele."

"Perfeito serás, como o Senhor, Teu Deus. Porque estas nações, que hás-de possuir, ouvem os prognosticadores e os adivinhadores: porém, a ti, o Senhor, Teu Deus, não permitiu tal coisa."


Pesquisadores em um sítio arqueológico no norte do Peru fizeram uma descoberta de dezenas de pessoas sacrificadas aproximadamente 600 anos atrás pela civilização Inca.

Os corpos, que mostram sinais de cortes e degolamento, foram encontrados em bom estado de conservação, de acordo com Carlos Webster, líder das escavações no acampamento Chotuna-Chornancap. Os sacrifícios foram realizados poucas décadas antes da chegada dos exploradores espanhóis no Peru.

Embora seja comum encontrar evidências de sacrifício humano nas ruínas das civilizações Incas e pré-Incas, os pesquisadores ficaram surpresos de encontrar 33 pessoas no mesmo local. “A maior parte dos corpos pertence a jovens mulheres, de aproximadamente 15 anos. Uma delas parecia estar grávida, pois encontramos evidências de um feto em seu abdómen, provavelmente de quatro meses”, disse Webster sobre as descobertas feitas nas escavações, que já duram um ano e meio.

Grande parte dos cadáveres está em bom estado de conservação – os tecidos e cabelos foram preservados. Eles foram encontrados em uma área seca, a mais de dois metros de profundidade”, diz Webster.

Os cientistas afirmam que o sacrifício humano era comum na cultura Inca, que se desenvolveu imediatamente antes da chegada dos exploradores espanhóis na América, entre os anos 1400 e 1500 nas áreas que hoje pertencem ao Peru, Chile e Equador.

A civilização Inca é bastante conhecida pelas ruínas de sua capital, Machu Picchu, um dos maiores destinos turísticos do Peru e considerada uma das novas sete maravilhas do mundo.

O sítio arqueológico de Chotuna-Chornancap, que tem 95 hectares, fica a 20 quilômetros da cidade litorânea de Chiclayo, próximo à tumba de Sipan, uma das maiores descobertas arqueológicas do último século. [Fonte]

Agradecimentos ao "esotérico" Nuno Dias pela notícia.

Perguntas para multiculturalistas: há alguma coisa de errado com sacrifícios humanos? Se achas que sim, não achas que estás a ser "preconceituoso" contra outras culturas? Afinal, os sacrifícios humanos faziam parte de muitas culturas do mundo. Quais são as tuas bases para seres contra esta práctica se, segundo o credo do multiculturalismo, todas as culturas possuem exactamente o mesmo valor?

Não deixa de ser surpreendente que o multiculturalismo só é promovido no Ocidente. Porque é que os multiculturalistas ocidentais não se aventuram para a Arábia Saudita e espalham por lá a sua ideologia?

Será porque o multiculturalismo foi construído apenas e só para destruir a superior Civilização Judaico-Cristã?

quinta-feira, 21 de Julho de 2011

Ex-jogador Zé Elias é detido por falhar pagamento à ex-mulher

O antigo jogador brasileiro Zé Elias foi detido esta quinta-feira, na cidade de São Paulo, na sequência de um processo em que é acusado de não pagar a pensão alimentícia à ex-mulher.

Na verdade, como a sua ordem de prisão já tinha sido decretada há alguns dias, o ex-futebolista do Corinthians, Santos [foto] Inter Milão, Bolonha, Olympiacos, Bayer Leverkusen, entre outros clubes, apresentou-se voluntariamente numa esquadra. Agora, para sair em liberdade, terá de obter um habeas corpus na justiça.

Diversos meios de comunicação brasileiros indicaram que Zé Elias deve mais de um milhão de reais (cerca de 450 mil euros) à ex-mulher. O antigo médio, que abandonou a carreira em 2009, alega não ter condições financeiras para proceder ao pagamento de 25 mil reais mensais (cerca de 11,2 mil euros) de pensão, valor determinado em tribunal em 2006, por altura da separação do casal.

Zé Elias, de 34 anos, é irmão do guarda-redes Rubinho, que representou o V. Setúbal em 2006 e cujos direitos desportivos pertencem agora ao Palermo – esteve emprestado ao Torino na época passada.

?Fonte?


Esta é mais uma notícia que nos faz ferver o sangue de raiva. Para que é que uma feminista precisa de 11 mil euros mensais? Nem que os filhos comessem caviar 10 vezes por dia, e andassem com roupas de marca diferente todos os dias, 11 mil euros por mês é um absurdo!

Mesmo que um homem não tenha condições para suportar a boa vida da feminista pagar a pensão, o sistema legal pervertido pelo feminismo não se interessa por isso. O que interessa é apenas e só o que as feministas acham que deveria ser.

Mas isto é só a ponta do iceberg. Para ficarmos com uma ideia do que o feminismo tem feito às famílias, e especialmente, aos homens, leiam este texto do blogue "Pensão Alimentícia: um roubo!"

Prostituição Financiada pelo Estado é um "Direito Humano"

Os verdadeiros direitos - tais como aqueles encapsulados na Constituição americana - são fundamentais e são poucos. A Declaração da Independência dos EUA diz:
Tomamos estas verdades como auto-evidentes, que todos os homens foram criados iguais, que lhe foram conferidos pelo Criador certos direitos inalienáveis como a Vida, a Liberdade a procura da Felicidade.
Em contraste com os direitos conferidos pelO Criador, os falsos "direitos" conferidos pelos Estados que rejeitam o Criador são incontáveis. Como se pode ver com o que está a acontecer na Grã-Bretanha, esses "direitos" incluem o uso de verbas públicas para financiar uma "visita" a uma prostituta na Holanda:
Foi oferecido a um homem de 21 anos com problemas de aprendizagem uma viagem à Holanda - paga pelos contribuintes - para ter relações sexuais com uma prostituta.
O assistente social (que pediu para manter o seu nome no anonimato, vá-se lá saber porquê) disse que o sexo é um "direito humano" para o indivíduo em questão. O mesmo foi descrito como um "virgem frustrado".
A sua viagem para um bordel holandês está a ser financiada por um programa com o orçamento de £520 milhões de libras introduzido pelo governo anterior como forma de dar mais poder àqueles com alguma deficiência.
Vejam a forma como o/a assistente social aumenta mais a dose de esquerdismo:
Não é preferível que nós controlemos isto, que nós sirvamos de guia para ele, suporte-mo-lo a entender o processo e, por fim, acabemos por satisfazer a sua necessidade num lugar seguro e licenciado onde a sua felicidade e crescimento como pessoa é a coisa mais importante?

A recusa em oferecer este serviço seria uma violação dos seus direitos humanos.

De acordo com os nossos líderes esquerdistas, "crescimento como pessoa" é atingido ao copular com uma prostituta.

O conceito de Direitos Humanos há muito que foi reduzido para uma farsa pelos líderes progressistas e esquerdistas. Na Europa o esquerdismo pelos visto permeia até partidos da suposta "direita".

Mesmo na decadente Holanda é ilegal pagar para ter sexo com mulheres que foram coagidas para a vida de prostituição, mas na Inglaterra ateísta é perfeitamente legal coagir os contribuintes a financiar a degeneração sexual.

Camille_Cabral.jpg
Prostitua europeia preparada avançar com o teu crescimento como pessoa.

quarta-feira, 20 de Julho de 2011

Secularista inglês para os religiosos: se não gostam da nossa definição de igualdade podem-se ir embora!

O Rabino-Chefe lorde Sacks afirmou que as tentativas de imposição de um modelo de igualdade "único" sobre as organizações religiosas está a corroer as liberdades religiosas. Ele avisou que tais acções na Grã-Bretanha podem trazer de volta a atmosfera que levou a que muitos ingleses abandonassem o país em busca de liberdade religiosa.

Os comentários de Sacks foram bem recebidos pelos grupos de liberdade religiosa Cristãos, mas atacados pelos representantes dos grupos anti-religiosos.

Preocupação.

O Rabino-Chefe falava perante o Comité Selecto da Casa dos Comuns juntamente com representantes da Igreja de Inglaterra, a Igreja Católica e o líder da Associação Humanista Britânica (militantes ateus).

Sacks disse que partilha da preocupação real dos líderes Cristãos, e concordou que aqueles que tentam impôr o modelo de igualdade e anti-descriminação sobre as organizações religiosas estão a destruir a liberdade religiosa. Ele acrescentou ainda que a Inglaterra caminhava para trás no tempo, para a altura do Mayflower quando muitos abandonaram o país "para encontrarem liberdade religiosa noutros sítios".

Imposição.

Bernard Jenkin MP, que liderou o Comité, avisou também que um "absolutismo humanista" seria "tirânico".

Andrea Minichiello Williams do grupo "Christian Concern" recebeu os comentários do Rabino-Chefe com agrado. Ela disse:

Tem havido uma significativa limitação da liberdade religiosa devido à cultura da "igualdade" e a imposição do politicamente correcto sobre o público.
Ela disse ainda que isto é "uma consequência inevitável do secularismo, que promete uma utopia mas dirige a sociedade para uma tirania" e acrescentou que não só o secularismo não é neutro como pune os dissidentes."

Mas Terry Sanderson, militante ateu e presidente do grupo "National Secular Society" (NSS), disse que as leis da igualdade que Sacks "ataca são uma conquista maravilhosa e algo que a maioria das pessoas - incluindo muitos Judeus - recebem como algo progressivo, justo e fortemente ansiado".

O militante ateu Sanderson acrescentou que o Rabino-Chefe era "egoísta, egocêntrico e politicamente motivado".

Uma das coisas que nós podemos ter a certeza em relação aos esquerdistas é que nós podemos saber o que eles geralmente são (ou tencionar fazer) pelas acusações que eles fazem aos religiosos - em especial aos Cristãos. Os militantes ateus é que geralmente são os "egoístas, egocêntricos e politicamente motivados".

Sanderson continuou com a demonstração do seu totalitarismo ao escrever no site da NSS:

A minha mensagem para o lorde Sacks, Andrea Minichiello Williams, Lord Carey, o Christian Institute e todos os outros choramingas é: se vocês realmente pensam que a vida neste país é intolerável e querem ir para outro sítio onde os vossos preconceito - digo, liberdades religiosas - podem ser expressas sem oposição, deixem-me citar uma canção do filme West Side Story: I know a boat you can get on. Bye-bye.’”

É sempre bom falar com "adultos" que consideram "vai-te embora!" como uma forma válida de argumentação.

Se vocês forem lêr o que o militante ateu escreveu no seu site, sem dúvida que irão observar o tom raivoso que ele usa para classificar as palavras do Rabino-Chefe.

Paralelamente, o militante diz que as leis da "igualdade" (que são uma fabricação monumental uma vez que a homossexualidade não é igual à heterossexualidade) estão feitas de forma a "proteger" os homossexuais. Mas quem é que protege os Cristãos e os Judeus das leis da "igualdade"?

O mentiroso diz ainda que o Rabino se deveria sentir "sortudo" por viver num país secularizado e "tolerante" como a Inglaterra. Isto é totalmente orweliano, especialmente quando sabemos que essas leis da "igualdade" estão a ser usadas PRECISAMENTE para promover a intolerância e remover os verdadeiros direitos humanos dos Judeus e dos Cristãos religiosos.

Quem não se lembra da psicóloga Cristã que pode perder a sua carteira profissional por ter oferecido ajuda REQUISITADA a um homossexual, depois deste ter mentido e dito que precisava de ajuda para abandonar o seu estilo de vida auto-destrutivo?

Quem não se lembra do casal inglês, Peter and Hazelmary Bull, vítimas das leis da "igualdade" por se recusarem a violar os seus preceitos religiosos acomodando 2 homens no mesmo quarto, quando o seu estabelecimento só reconhece como "casal" um homem e uma mulher?

Portanto, as palavras do Sanderson são pura mentira. Ele sabe bem que as leis da igualdade tem como propósito acabar com a liberdade religiosa, e é precisamente por isso que os secularistas as fomentam com tanto vigor.

Se não fosse o aspecto anti-Cristão das leis da "igualdade", os humanistas não veriam nelas qualquer tipo de utilidade.

Símbolo Tolerante e Secular

terça-feira, 19 de Julho de 2011

Rússia aprende com os erros da Europa Ocidental

Saquem os lenços cá para fora. Os multiculturalistas da BBC derramam lágrimas pelo facto da Rússia se recusar em estender o tapete vermelho aos colonialistas.


video


Façamos o seguinte, ó ruandeses: se vocês não gostam das casas gratuitas fornecidas pela Rússia, porque é que não voltam para o Ruanda? Não se cospe no prato onde se comeu.

O blogue Political Cesspool está chocado com a liberdade de expressão existente na Rússia:

Foi incrível ouvir Konstantin Poltoranin, dos "Russian Federal Migration Service" afirmar na sua entrevista com a BBC:

"O que está em jogo é a sobrevivência da raça branca. Sentimos que aqui é a Rússia. Queremos nos certificar que a mistura de sangue ocorre da forma certa, por aqui, e não da forma que aconteceu na Europa Ocidental, onde os resultados não foram bons".

Nenhum burocrata veria a sua carreira política sobreviver depois de afirmar o que o russo afirmou, independentemente do número de pessoas que possam concordar com ele.

A intolerante devoção dos russos para a auto-preservação pode-lhes custar a riqueza multicultural que pode ser encontrada nas terras da BBC, onde historias coloridas como esta animam as notícias diárias:

Um zelador municipal traficava meninas com idades que podiam chegar aos 14 anos para dentro da Grã-Bretanha [GB] e obrigava-as que trabalhassem como prostitutas depois de ter colocado um feitiço vudu nelas.

É alegado que Anthony Harrison, de 32 anos, violou duas raparigas na GB depois delas terem sido sujeitas a um extraordinário ritual de magia negra africana por parte de um grupo que se dedica ao rapto.


Harrison tem muitos nomes falsos; ninguém sabe o seu verdadeiro nome. Ele chegou à GB proveniente da Nigéria no ano de 2003. Foi-lhe recusado asilo mas permitido licença indefinida como forma de poder ficar. O seu esquema contrabandeia para dentro da GB raparigas novas como forma de as vender como escravas sexuais.

Elas foram ensinadas a dizer às autoridades que o motivo pelo qual elas precisam de asilo é pelo facto de serem lésbicas, assegurando assim que os esquerdistas que controlam os serviços alfandegários anuam às suas exigências.

Foi dito que a cerimónia assustadora [feitiçaria sobre as miúdas] foi levada a cabo na Nigéria por um sacerdote Juju como forma de aprisionar as raparigas a uma vida de escravatura sexual.

Segundo o tribunal de Woolwich Crown, durante o ritual, uma rapariga de 16 anos foi levada a um santuário onde ela foi deixada nua por dois homens, e cortada em várias partes do corpo com uma navalha como forma do sacerdote recolher o seu sangue (que mais tarde foi colocado num caixão.

Num procedimento pouco diferente duma tortura, o cabelo da rapariga foi cortado, os seus braços foram presos às suas costas e ela foi forçada a deitar-se noutro caixão, nua, coberta de sangue.
A vítima alegadamente tinha que comer coração de galinha cru como procedimento que fazia parte do feitiço do sacerdote.

Ele alegadamente disse que ele tinha acesso à sua alma, e que se ela não obedecesse as suas ordens, ele poderia visitá-la nos seus sonhos e "matar a partir de dentro".

Se há coisa que os multiculturalistas aliados aos colonistas sabem fazer é matar a partir de dentro.

Os russos são uns racistas por não quererem que a Rússia se transforme nisto.


Fonte

Psicóloga Ana Caetano: As famílias são um local perigoso

Minuto 6:59

segunda-feira, 18 de Julho de 2011

Governo Mundial: Ficção ou Intenção?

O Luciano tem um post onde ele expõe as verdadeiras intenções dos secularistas. É bastante elucidativo. Ênfase meu.
Mas que tal observarmos as palavras de Bertrand Russell, ídolo de todos os autores neo ateus, em “A Última Oportunidade do Homem”?

Vejamos:

Pode evitar-se a guerra por algum tempo por meio de paliativos, expedientes ou uma diplomacia sutil, mas tudo isso é precário, e enquanto durar o nosso sistema político atual, pode ser considerado como quase certo que grandes conflitos irão surgir de vez em quando. Isso acontecerá inevitavelmente enquanto houver diferentes Estados soberanos, cada um com as suas forças armadas e juiz supremo dos seus próprios direitos em qualquer disputa. Há somente um meio de o mundo poder libertar-se da guerra, é a criação de uma autoridade mundial única, que possua o monopólio de todas as armas mais perigosas.

Para que um governo mundial pudesse evitar graves conflitos, seria indispensável possuir um mínimo de poderes. Em primeiro lugar precisava de ter o monopólio de todas as principais armas de guerra e as forças armadas necessárias para o seu emprego. Devia também tomar as precauções indispensáveis, quaisquer que fossem, para assegurar, em todas as circunstâncias, a lealdade dessas forças ao governo central.

O governo mundial tinha de formular, portanto, certas regras relativas ao emprego das suas forças armadas. A mais importante determinaria que, em qualquer conflito entre dois Estados. cada um tinha de se submeter às decisões da autoridade mundial. Todo o emprego da força, de um Estado contra o outro, tornaria o agressor um inimigo público e implicaria o emprego, contra ele, das forças armadas do governo mundial.

Estes seriam os poderes essenciais para salvaguardar a paz. Uma vez conseguidos, outros se lhes seguiriam. Haveria necessidade de corpos constituídos para desempenhar as funções legislativas e judiciais; mas tais corpos desenvolver-se-iam naturalmente se as condições militares fossem realizadas; o que é difícil e vital é dotar de uma força irresistível a autoridade central.

O governo mundial pode ser democrático ou totalitário; pode ter a sua origem no consentimento ou na conquista; pode ser o governo nacional de um Estado que conseguiu conquistar o mundo ou, pelo contrário, uma autoridade em que cada Estado, ou cada ser humano, tenha iguais direitos. Por minha parte creio que se tal governo se constituir um dia será à base do consentimento nalgumas regiões e à base da conquista noutras. Numa guerra mundial entre dois grupos de nações, pode suceder que os vencedores desarmem os vencidos e comecem a governar o mundo por meio de instituições unificadoras desenvolvidas durante o conflito.

Gradualmente, à medida que se desvaneça a hostilidade provocada pela guerra, as nações vencidas poderão ser admitidas como associadas. Não creio que a espécie humana tenha suficiente habilidade política ou um elevado espírito de tolerância para estabelecer um governo mundial somente à base do consentimento.

Por isso penso que um elemento de força deve ser necessário, tanto para o seu estabelecimento como para a sua protecção durante os primeiros anos.

Preparando o caminho para o "filho da perdição"? (2 Tess 2:2)

Os benefícios de ler blogues anti-feminismo

Antes


Depois

Antes

Depois


Antes


Depois



Antes



Depois



Antes


Depois



Antes



Depois


Antes



Depois



As últimas 6 fotos são deste site.

domingo, 17 de Julho de 2011

Suicídio Juvenil Diminui Durante as Férias

Se qualquer outra actividade estivesse directamente conectada ao aumento das taxas de suicídio juvenil, quase de certeza que seria ilegal:
Por cada duas horas que passa, um adolescente suicida-se nos EUA. O suicídio é a terceira causa de morte entre os jovens, e a taxa de suicídio triplicou desde 1960.
Curiosamente (ou talvez não) foi mais ou menos por essa altura que a militante ateísta Madalyn Murray O’Hair batalhou para remover a oração das escolas públicas.
Os cientistas identificaram muitas factores contribuintes: descriminação, parceiros sexuais, consumo de substâncias, término dum romance amoroso, divórcio paterno, abuso sexual, bullying e mesmo o excesso de jogos de computador.

No entanto os pesquisadores da "National Opinion Research Center" da Universidade de Chicago oferecem um factor mais significativo para o suicídio juvenil: as escolas secundárias públicas.

Num artigo cuidadoso e persuasivo publicado no Outono do ano passado com o nome de "Back to School Blues: Seasonality of Youth Suicide and the Academic Calendar," Benjamin Hansen e Matthew Lang ressalvam que os suicídios dos jovens com idades compreendidas entre os 14 e os 18 anos baixam abruptamente durante os meses de Junho, Julho e Agosto , os meses de férias das escolas públicas.
O decréscimo do suicídio dos jovens entre os 14 e os 18 anos de idade durante o verão é forte, enquanto que entre as pessoas com idades entre os 19 e 25 o suicídio aumenta.
Os pesquisadores concluem:
O facto do suicídio dos jovens 15-18 anos diminuir durante o verão, embora o suicídio entre os jovens na faixa etária 19-25 não diminuir, sugere que o calendário das escolas secundárias desempenha um papel proeminente na suicídio juvenil.
Dado que as férias de verão reduzem a taxa de suicídio juvenil de 6.22 por cada 100,000 para 4.71, isto significa que banir as escolas públicas haveria de prevenir a morte de 1,092 por ano. Isto são muito mais vidas do que as que podem ser salvas através da maioria dos empreendimentos propostos pelo grupo "salvem-as-crianças".

Uma vez que nos é dito que uma vasta colecção de leis fazem sentido mesmo que apenas uma criança seja salva, e dado que crianças que aprendem em casa são academicamente superiores às que aprendem nas escolas públicas, como é que alguém pode argumentar de consciência tranquila que acabar com as escolas públicas não é um eminente imperativo moral?

Banir as escolas públicas haveria de salvar mais crianças anualmente do que todos os métodos de vacinação em conjunto. De facto, haveria de salvar mais vidas do que as leis em torno do cinto de segurança ou cadeiras de protecção para crianças.

Acabar com as escolas públicas, ou pelo menos terminando o acesso às escolas públicas a partir de uma certa idade, haveria de reduzir a terceira causa de morte entre os jovens em 25%. Afinal de contas, não se dá o caso das crianças aprenderem coisas de jeito nas escolas públicas.

Modificado a partir do original


A esta altura é perfeitamente normal a pergunta "se as escolas públicas são assim tão más, porque é que não se acabam com elas?" Para se vêr a "utilidade" das escolas públicas basta citar o manifesto comunista que diz:
10. Educação gratuita para todas as crianças nas escolas públicas.
O principal propósito das escolas públicas é o de controlar as crianças de modo a que elas cresçam a pensar da forma que o governo [socialista] quer. Se a maior parte das crianças recebesse educação em casa, projectos como os propostos pelas feministas radicais ou pelos activistas homossexuais teriam mais dificuldade em conseguir adeptos.

Marx e Engels sabiam que a família nuclear exerce uma influência decisiva sobre a forma de pensar das crianças, e como tal eles deram grande apoio à criação de escolas públicas onde as crianças pudessem receber indoutrinação estatal 5 dias por semana, mais de 5 horas por dia.

O humanista Charles F. Potter escreveu

A educação é portanto o aliado mais poderoso do humanismo . Todos as escolas americanas são escolas do humanismo.

O que é que uma reunião Dominical Teísta aos Domingos durante uma hora, uma vez por semana, a ensinar uma fracção das crianças, pode contra um programa de 5 dias por semana de ensino humanista?

(Charles F. Potter, "Humanism: A New Religion," 1930)
É por isto (humanismo, socialismo, ateísmo, evolucionismo, naturalismo e anti-Teísmo) que as escolas públicas são tão importantes para os governos mundiais. Esses antros são locais onde as futuras gerações de humanistas são criados, e uma vez bem firmes no humanismo, é muito difícil elas saírem de lá.

O ex-comunista

Fonte

São os pobres que fazem a roda http://www.blogger.com/img/blank.gifdo capital girar. Onde há pobreza há desejo. Onde há desejo há consumo

– O mundo precisa dos pobres. Demorei a en­ten­der isso, mas agora sei: o mundo sem pobres é inconcebível. Aquela frase dita assim, de chofre, no meio de uma conversa informal, me chocou, confesso.
– Por muito tempo algumas pessoas lutaram pelo fim da pobreza. Eu próprio fui um deles. Mas agora entendo que a pobreza é necessária ao equilíbrio do planeta – ele continuou.
– Equilíbrio? Como assim?
– Imagine um mundo só de ricos... Um mundo em que ninguém precise de nada, que seja autossuficiente e abastado...
– Hmmm...
– Viu? Você nem consegue imaginar, porque é mesmo impossível. São esses pobres que sustentam o capitalismo, não os ricos. São os pobres que fazem a roda do capital girar. Onde há pobreza há desejo. Onde há desejo há consumo. Se as pessoas consomem, a rede da economia gira, entende?

Eu permanecia mudo. Embora reconhecesse que havia algo de tecnicamente correto naquele raciocínio, sua fala me soava demasiadamente cínica. Prosseguiu em sua teoria.
– Quem são os maiores vendedores de discos?
– Os artistas populares, imagino – falei.
– Pois é, artistas populares, aqueles que são ouvidos pelos pobres, certo?
– Acho que sim.
– Quais as lojas com maior receita? As lojas que vendem artigos populares, certo?
– Acho que sim também, não sei...
– Eu sei, vai por mim. Melhor ter um boteco em Pirituba do que uma loja de chapéus de grife no shopping Iguatemi. O custo/benefício é mais vantajoso.
– Nunca parei pra pensar nisso.
– Rico não consome porque tem um desejo genuíno ou uma necessidade vital. Rico consome pelo glamour, porque quer ser visto com o barco, o carro novo, a casa projetada pelo arquiteto hype... Pobre não. Pobre faz seu “puxadinho”, ergue sua laje e fica feliz da vida, porque ainda que se orgulhe em mostrar pro vizinho, não o fez só por isso. Fez porque tinha a real necessidade daquilo. E quem precisa fazer faz. Quem precisa comprar compra.
– Mas o capital está nas mãos dos ricos.
– Sim, mas foi ganho à custa de pobres, não de outros ricos.
– Sim, mas há serviços que pobres não consomem, apenas ricos.
– Sim, há. Mas nenhuma fortuna é erguida sem a participação dos pobres.
– Como assim?
– Tá vendo aquele condomínio de luxo? Imagina quantos pobres trabalharam para erguê-lo? E quantos outros agora trabalham para mantê-lo funcionando?
– Não sei.
– Muitos, acredite. Tá vendo aquele shopping acolá? Entre e faça uma enquete. Aposto que há mais pobres ­circulando por lá do que ricos.
– Mas...
– Acredite no que tô falando. Dinheiro para o rico é esporte. Para o pobre é paixão.

sexta-feira, 15 de Julho de 2011

Militante ateu usa coador de spaghetti na cabeça em fotos oficiais

Foi legalmente permitido a um militante ateu austríaco usar um coador de massa spaghetti na cabeça na sua foto da carta de condução. O mesmo afirmou que o coador é o seu "chapéu religioso".

Niko Alm requereu a licença pela primeira vez há 3 anos atrás depois de lêr que chapéus eram permitidos desde que fossem por motivos confessionais. Como resposta a isto, o militante ateu disse que o coador é um requerimento da sua religião, o pastafarianismo.

As autoridades austríacas exigiram que ele obtivesse um certificado médico confirmando que ele estava "psicologicamente apto" para conduzir.

Origem da palhaçada.

Esta ideia veio à mente perturbada do sr Alm há 3 anos atrás como forma de vincar um ponto (embora de forma irónica). Um ateu confesso, Alm disse que pertencia à "igreja" do mostro spaghetti voador, uma fé cujos membros se identificam como "pastafarianos".

O site do grupo declara que "o único dogma permitido na igreja do mostro spaghetti voador é a rejeição dos dogmas".

Uma entrevista médica determinou que o auto-intitulado "pastafariano" estava apto para conduzir".

Fonte


Para quem não se lembra, a história do mostro spaghetti voador teve início com um ateu americano (Bobby Henderson) quando este enviou uma carta aos responsáveis pelo ensino em Kansas quando estes permitiram (na altura) que o ensino da teoria da evolução fosse feito de forma científica, isto é, ensinando os prós e os contras, e não de forma dogmática.

Como forma de resposta, este irritado militante ateu inventou o mostro voador como sátira.

Mas o monstro cresceu e pelos vistos já há convertidos na Áustria.

O ridículo da militância ateísta.

ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

PRINT